sexta-feira, 25 de maio de 2012

Blogueiros invadem Salvador


 
Image
 
 
Blogueiros progressistas de todas as regiões do país estarão em Salvador neste final de semana para tratar temas como liberdade de expressão, democratização da comunicação e defesa da blogosfera, tão caros a nós. Eles prometem sacudir a capital baiana ao participar da terceira edição do Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas, que começa amanhã, às 18 horas, e termina no domingo. Trata-se de um espaço ímpar de troca entre os que estão na frente da luta pela liberdade de expressão no país. Afinal, somos nós, os blogueiros – já chamados de "sujos" por parte da mídia conservadora – que trazemos dia sim e no outro também o contraditório ante a pauta de parte da mídia comprometida apenas com interesses políticos e econômicos próprios e de muito pouca gente neste nosso imenso e tão diversificado Brasil. Se você, como eu, não puder ir a Salvador, tem como acompanhar os trabalhos. Basta entrar o site da TVT e localizar o botão específico em que está o link para assistir a tudo em tempo real [http://www.tvt.org.br/noticias/iii-encontro-nacional-de-blogueiros-programacao-e-local-confirmados ].
Preparem-se. A partir de amanhã (25.05), blogueiros progressistas de todas as regiões do país vão desembarcar em Salvador. Os bons ventos da liberdade de expressão, da democratização da comunicação e da defesa da blogosfera prometem sacudir a capital baiana durante a terceira edição do Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas.
 
O evento, já referência de todos nós, blogueiros, começa nesta sexta, a partir das 18h e se estende até o domingo (27). Trata-se, na realidade, de um espaço ímpar de troca entre os que estão na frente da luta pela liberdade de expressão no país. Afinal, somos nós, blogueiros – já chamados de "sujos" por parte da mídia conservadora – que trazemos dia sim e no outro também o contraditório ante a pauta de parte da mídia comprometida apenas com interesses políticos e econômicos próprios e de muito pouca gente mais neste nosso imenso e tão diversificado Brasil.
 
Prova da vitalidade da blogosfera é o alto nível da pauta de discussões proposta para este III BlogProg. A batalha pelo marco civil da internet e a defesa da blogosfera e da liberdade de expressão darão a tônica, segundo um dos principais ativistas da rede e membro da coordenação do movimento, Altamiro Borges ( leia mais : http://www.zedirceu.com.br/index.php?option=com_content&task=view&&id=15373&Itemid=2 ).
 
Boa parte dos mais ativos blogueiros do país já confirmou presença. Entre os palestrantes e convidados estarão lá os ex-ministros Franklin Martins, da Secretaria de Comunicação do governo Lula; o deputado Emiliano José (PT-BA), da Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e Direito à Comunicação (Frentecom); o intelectual Ignácio Ramonet (Le Monde Diplomatique – França); o embaixador da Venezuela, Maximilien Arvelaiz; e Andres Thomas Conteris, do Movimento Ocupe Wall Street e Democracia Agora.
 
Transmissão será online
O programa do encontro prevê debates sobre a defesa da democratização da comunicação brasileira, a construção de um novo marco regulatório para a mídia e da liberdade de expressão. E, também, discussões de temas pontuais como a de uma cobertura política sem sexismo, incluindo, os temas religião e direitos humanos. Destaco, ainda, as discussões sobre os aspectos jurídicos ligados à rede.
 
Frente ao trabalho fundamental que os blogueiros espalhados em todos os cantos deste país promovem, informando, abrindo os olhos e promovendo o contraponto, até então, sem igual no país, deixo aqui meu aplauso aos demais blogueiros, companheiros de jornada, e meus sinceros votos de um excelente debate. Aos que não puderem comparecer ao evento, como é o meu caso, teremos a oportunidade de acompanhar a tudo em tempo real pelo site da TVT . [http://www.tvt.org.br/noticias/iii-encontro-nacional-de-blogueiros-programacao-e-local-confirmados ]
 
 
No site do Barão de Itararé há mais informações sobre o III BlogProg. Clique e fique por dentro.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

A Comissão da Verdade e os ofendidos

Publicado em 17/05/2012

 

Recife (PE) - A vontade que se tem é a de escrever: por baixo de ondas de infâmia e sangue, a presidenta Dilma instalou a Comissão da Verdade. E temos essa vontade porque a vemos em um mar que se abre, pronto a tragá-la e a envolver também os  brasileiros mutilados, perseguidos e assassinados sob a ditadura de 1964. Mas esse mar, essa conjuração de elementos, que outra coisa não é a não ser a secular opressão sobre o povo, nos acode também pela memória da tragédia humana ocorrida a partir do golpe.
Não há espaço nesta coluna, não há espaço em mil colunas para falar de Ivanovitch, de Eremias Delizoicov, de Soledad Barrett, de Jarbas Marques, de jovens mortos, de jovens enlouquecidos, de jovens heróicos, de dramas de consciência que sobrevivem  em peles que são uma fantasia de macabro carnaval. Não há nem mesmo espaço para cantar, como um poeta magnífico faria, a coragem de dona Elzita, mãe de Fernando Santa Cruz, nesta carta de 1975 para Armando Falcão, mais conhecido pelo codinome de Ministro da Justiça:           
“Que clandestinidade seria esta que, repentinamente, transformaria um filho respeitoso, carinhoso e digno em um ser cruel e desumano, que desprezaria a dor de sua velha mãe, a aflição de sua jovem esposa e o carinho de seu filho muito amado?...Espero que não se dê por esgotado este episódio, mas que seja esclarecido o que realmente aconteceu ao meu filho para que possamos sair deste imenso sofrimento que nos encontramos. Nada peço ao Sr. para meu filho a não ser os esclarecimentos, que tenho direito, sobre o seu paradeiro, e justiça!”.
O leitor desculpe o tom solene desta coluna. É que a solenidade vem do entre aspas desses destinos. Mas num esforço, se descemos o nível do assalto da altura dessa história oculta, se descermos aos dados objetivos e técnicos da informação, devemos dizer que as estatísticas oficiais muito se enganam, quando contabilizam entre 400 e 500 militantes mortos pelos militares, ou, num esforço cínico, desaparecidos. As estatísticas nada falam dos homens e mulheres sem cidadania, mas que a buscavam até para comer, como os camponeses do Nordeste. Em Pernambuco, por exemplo, houve um quase genocídio de homens do campo, e deles quase nada se diz. Assim como eles, todos os trabalhadores, que não estavam filiados a partidos clandestinos, estão sem registro de suas execuções.
As estatísticas nada falam tampouco, e dessa omissão se valem os militares, quando ironizam a quantidade de anistiados em comparação com os livros sobre vítimas da ditadura, as estatísticas silenciam sobre o clima de terror e perseguição que fez brasileiros interromperem seus cursos, empregos e pesquisa. Se os registros dessa caça aos democratas contarem, aparecerão mais que centenas, milhares. E se se contabiliza o dano a toda uma geração, pela queda vertical da qualidade do ensino, do avanço do pensamento social, que em 64 virou coisa de comunista, como se os comunistas não fossem uma instância legítima de ser, então os atingidos são milhões na ditadura.
Na presidenta que ontem instalou a Comissão da Verdade reside o conflito do sonho socialista da juventude e o presente possível, de acordos políticos no limite do suportável, de uma democracia conservadora. Dilma bem sabe o que é mais insuportável, como nesta entrevista a Luiz Maklouf em 2003:
“Tinha um menino da ALN que chamava ‘Mister X’. Eu o vi completamente destruído. Não sei o que foi feito dele. Nunca vou esquecer o quadro em que ele estava. Primeiro, eu não queria que meus companheiros estivessem numa situação daquelas. Segundo, eu tinha medo que algum deles morresse. Terceiro, porque teve um dia que eu tive uma hemorragia muito grande, foi o dia em que eu estive pior. Hemorragia, mesmo, que nem menstruação. Eles tiveram que me levar para o Hospital Central do Exército. Encontrei uma menina da ALN. Ela disse: ‘Pula um pouco no quarto para a hemorragia não parar e você não ter que voltar’... Os militares nos cercaram, desmantelaram, e uma parte mataram. Foi isso que eles fizeram conosco. Eles isolaram a gente e mataram.”
Os jornais hoje dizem que a presidenta ontem chorou. E informam essa emoção em nova forma de dizer sem nada dizer, porque nada falam do terror, do poder absoluto sobre vidas e pensamento de pessoas em um tempo que não está morto.
Lá em cima, escrevi que a presidenta Dilma estava sob as ondas de um mar aberto. Mas na verdade, devemos dizer: ela está no furacão. Ainda que em fenômeno diverso, ela está na tempestade. E desta vez, com um apoio mais amplo que naquele tempo, maldito tempo, do sofrimento em silêncio. Aquele que a fazia escolher entre voltar à tortura ou pular para ser mais volumosa a sua hemorragia.

Urariano Mota - Recife
 É pernambucano, jornalista e autor de "Soledad no Recife", recriação dos últimos dias de Soledad Barret, mulher do cabo Anselmo, executada pela equipe do Delegado Fleury com o auxílio de Anselmo.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Síntese da MIDIA IMPRESSA


Estímulo ao consumo – Jornais são unânimes em dar manchetes para medidas de estímulo ao crescimento da economia. Globo diz que “Governo tenta de novo conter queda do PIB pelo consumo”. Anuncia que, “numa tentativa de segurar as projeções de queda do PIB para este ano” – informação que destaca em outra chamada de capa –, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou ontem o sétimo pacote de estímulo ao crescimento da economia desde o fim de 2008, no auge da crise global. Destaca que a ênfase das medidas foi no setor automotivo e significa uma renúncia de impostos de R$ 2,7 bilhões. Informa que o governo reduziu o IPI para compra de carros novos e baixou o IOF para operações de crédito, além de liberar R$ 18 bilhões em compulsórios para incentivar empréstimos nos bancos. Anota na chamada declaração que havia sido feita mais cedo pela presidenta Dilma, que o Brasil está "300% preparado" para enfrentar a crise. [Estado destaca fala da presidenta internamente]. Jornal diz que medidas respondem a previsões pessimistas para a economia e que “analistas” acreditam que o pacote terá pouco impacto porque as famílias já estão muito endividadas. Estado endossa o viés “déjà vu” dado pelo Globo em “Como em 2008, governo corta IPI de carros e amplia crédito”. Registra avaliação de Mantega que “será difícil crescer 4,5% este ano”. Folha repete a tese da saída pelo estímulo à demanda, também dado pelo Globo, em “Governo reduz impostos para estimular consumo”. Correio opta por um enquadramento de serviço no alto “Carro fica até 10% mais barato a partir de hoje”. Anota na chamada que o governo também anunciou a redução de juros nos financiamentos do BNDES para bens de capital, com o objetivo de incentivar investimentos. Valor puxa o assunto por esse lado em “Governo corta IOF e reduz a zero juro real de máquinas”. Frisa que se trata de “mais uma tentativa para evitar um fraco desempenho da economia, estimular o consumo e reverter investimentos em baixa”. Cita a projeção de inflação do boletim Focus, de 5,51% nos próximos 12 meses. Estado destaca internamente fala de Tombini, “Alta da inflação ‘já ficou para trás’”. Valor diz também que a maior parte das medidas voltadas para o consumo visa desencalhar os estoques da indústria automobilística, de 43 dias em abril. Relata fala de Mantega sobre as medidas anunciadas ontem terem sido negociadas com empresários e banqueiros visando cobrar de cada um sua parte: o governo corta tributos, a indústria automobilística reduz preços e os bancos se comprometem a reduzir os juros dos empréstimos e o valor da entrada e aumentar o prazo. Também bate na tecla que “governo voltou a usar o arsenal de medidas de estímulo usado com sucesso para enfrentar a crise de 2008”. Em outra chamada de capa, Globo anuncia “Projeção de um crescimento menor” da Pesquisa Focus, “de apenas 3,09% para este ano”. Anota que “já há consultorias apostando em menos, cerca de 2,5%”. Exceção, Brasil Econômico apenas chama medidas na capa em “Novo pacote tenta estimular crédito e volta do consumo”. Dá como segundo destaque de capa entrevista com o presidente da JAC Motors no Brasil, Sérgio Habib, que diz ao jornal que empresa quer inaugurar fábrica da montadora em Camaçari (BA) em 2014. Editorial do Estado, “O freio ao crescimento”.

Exportações – Valor destaca na capa que “Exportação tem queda de preços e volumes”. Informa que a queda de 7,9% nas exportações em abril, na comparação com o mesmo mês do ano passado (pela média diária), não foi provocada somente pelos preços, mas também pela redução dos volumes. O preço médio de exportação caiu 1,9% em abril, na comparação com o mesmo mês de 2011, e o volume total das vendas brasileiras ao exterior caiu 1,1%. Destaca que a redução foi puxada principalmente pelos bens industrializados. Houve queda de 11% nos semimanufaturados e de 1,2% nos manufaturados. Lembra que entre os semimanufaturados mais importantes embarcados pelo Brasil estão produtos de ferro e aço, celulose e açúcar bruto. Brasil x Argentina – Em outra chamada de capa, “Protecionismo atinge até as batatas fritas”, Valor reporta que “a guerra comercial entre Brasil e Argentina fez mais uma vítima: a batata frita”. Segundo o jornal, são pelo menos 45 caminhões carregados com o produto congelado retidos na fronteira entre os dois países desde a semana passada. O produto destinado a grandes redes de fast-food, como McDonald"s, Burger King e Bob"s é produzido no país vizinho pela canadense McCain, que já decidiu paralisar a produção de unidade do outro lado da fronteira, onde são processadas 180 mil toneladas de batata por ano. Matéria diz que, além dos caminhões parados, a McCain está com 45 contêineres cheios em portos e cerca de 300 pedidos aguardando liberação. Cita outra fabricante, a Farm Frites, que diz ter fôlego para uma semana. Jornais registram alta do dólar, que fechou em R$ 2,04. Folha, internamente, diz que “Compradores [de minério de ferro] dão calote”, diz FT”.

Delta/blindagem/acordo – Estado informa na capa que “Base aliada fecha acordo para blindar a Delta na CPI”. Diz que o governo está decidido a blindar, na CPI do Cachoeira, a Delta Construções, principal empreiteira de obras previstas no PAC. Relata acordo fechado para não deixar que as investigações atinjam a construtora nacionalmente. Segundo o jornal, “há temor de que a apuração da CPI acabe mostrando relação de outros políticos com a empresa”. Cachoeira/depoimento hoje – Globo anuncia que “Ministro do STF manda Cachoeira depor hoje”, em referência à decisão de Celso de Mello, que ontem negou o pedido do bicheiro Carlinhos Cachoeira para CPI de adiamento da presença no Congresso. Correio também faz registro, “Cachoeira perde no STF e encara CPI”. Prevê que “o bicheiro deve ficar mudo diante da maioria das perguntas”. Rêgo/funcionária fantasma – Folha informa na capa que “Presidente da CPI emprega funcionária-fantasma”. Notícia é que o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) emprega em seu gabinete a funcionária-fantasma Maria Eduarda Lucena dos Santos, contratada para receber por trabalhos feitos pelo pai dela e outros dois jornalistas. Segundo o jornal, Rêgo “negou manobra, mas não soube dizer qual é a função da estudante no gabinete”. Editorial de O Globo, “Temor de políticos ameaça CPI”.

Mensalão/mais sessões – Correio informa na capa que “Supremo estuda sessões extras para o mensalão”. Informa que os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) vão se reunir hoje para definir o aumento do número de sessões semanais destinadas ao julgamento da ação penal do mensalão. Jornal afirma ser consenso na Corte que as reuniões plenárias realizadas às quartas e às quintas-feiras serão insuficientes para a análise do processo, que envolve 38 réus. O presidente do STF, ministro Carlos Ayres Britto, vai propor mudança no cronograma. As sessões passariam de duas para três ou quatro por semana durante a análise do processo. Lula/mensalão/ “tentativa de golpe” – Folha, internamente, destaca fala do ex-presidente Lula, “Mensalão foi tentativa de golpe de oposição e imprensa”. Reporta que o ex-presidente voltou ontem a descrever o escândalo como uma tentativa de golpe ao receber homenagem da Câmara Municipal de São Paulo. “"O PT era mais atacado do que hoje por grande parte dos políticos da oposição e por uma parte da imprensa brasileira. Na verdade, era um momento em que tentaram dar um golpe neste país."

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Militares lá e cá.

De uma amiga indignada, recebi a incumbência de comentar essa mensagem do Presidente dos Estados Unidos, seguida de comentário de um entusiasta da ditadura nazifascista que vitimou o país entre as décadas de 60 à 80 do século passado. Respondi na sequência:

Para que servem os militares?


Para aqueles que às vezes aparecem pondo em dúvida para que servem os
militares. Obama deu a resposta....
Isto no país mais democrático do mundo!!!

"...É graças aos soldados, e não aos sacerdotes, que podemos ter a religião
que desejamos. É graças aos soldados, e não aos jornalistas, que temos
liberdade de imprensa. É graças aos soldados, e não aos poetas, que podemos
falar em público. É graças aos soldados, e não aos professores, que existe
liberdade de ensino. É graças aos soldados, e não aos advogados, que existe
o direito a um julgamento justo. É graças aos soldados, e não aos políticos,
que podemos votar..."
BARACK OBAMA no MEMORIAL DAY


Dedicado àqueles que perguntam:

“Para que servem os militares?”

(E é justamente pelo fato de os soldados brasileiros haverem sido
desacreditados que este PAÍS vive mergulhado na anarquia, governado
por incontáveis quadrilhas de bandidos, instalados nos poderes Executivo,
Legislativo e Judiciário).
 
"  O tempo é um rio de surpresas. "


Minha resposta:

Querida...

O que comentar sobre as palavras do cacique de uma nação guerreira que há décadas mata e mutila tantas crianças em todos os continentes, trucidando homens e mulheres, velhos e inocentes?

Pra quê?

Pra eles lá se mentirem cristãos? Para usarem a imprensa livremente enganando o próprio povo que acredita que liberdade é o direito de adquirir quinquilharias da indústria capitalista que os polui e inviabiliza o meio ambiente que roubaram dos índios ou dos mexicanos e onde têm de viver consumindo, alheios e alienados aos próprios e outros miseráveis rejeitados pelo mundo afora?

Qual poesia retiram do choro dos órfãos que multiplicam por toda parte, apenas para que um garoto de Wyoming ou Ohio possa engordar ao mórbido, comendo a carne podre dos x-hamburguês?

Que ensino é esse que faz a classe média da população apontar o Irã na Austrália e ignorar o próprio idioma?

A qual julgamento justo se refere Obama?

O que matou seu colega John Kennedy? Ou o que matou Martin Luther King?

Será o que condenou Malcom X? Ou o que condenou Emmet Louis Till ao massacre por uma branca ter acreditado que assoviara para ela?

Será pela julgamento da liberdade que mataria Stokely Carmichael se não encontrasse asilo em Cuba?

A que políticos se refere Obama, se como presidente dos Estados Unidos desconhece a historia doo próprio povo e país?

Quanto ao parêntese do idiota brasileiro: sem comentário.
 
Raul Longo

quarta-feira, 16 de maio de 2012

PROCURA-SE O MENSALÃO

Quem achar, favor avisar à Revista Veja. Será regiamente recompensado.

Raul Longo

Por pura maldade o ex-prefeito da Anápolis, Ernani de Paula, deu um bico no Mensalão que o bichinho saiu ganindo e se entocou em algum canto. Agora só a CPI do Carlinhos Cachoeira para desentocá-lo.
Uns dizem que está escondido debaixo da cama do Senador Demóstenes Torres, outros que se meteu atrás de um cofre do próprio Carlinhos Cachoeira, mas ninguém define se o das rendas do jogo do bicho, das máquinas caça-níqueis, do contrabando ou da corrupção em licitações com os mais variados níveis de governos de diversos estados. Há até quem aposte que no esconderijo de um cofre de tráfico de drogas. Vai se saber!
Fato é que a família Civita e seu corpo de colaboradores está desolada. Num desespero pungente, tal qual se lê no editorial da edição nº 2265 da revista Veja, principal boletim informativo dos Civita!
Informativo é modo de dizer, pois se o sabe mais para “alarmativo”. O que talvez justifique meu total desinteresse pelo que têm feito ou deixado de fazer os Civita, mas, obrigado a procurar uma clínica de exames gerais para ver se tudo anda em ordem com o corpo,  já que o espírito continua bem aconchegado por Oxuns e Iemanjás, dou com o desespero daquela tradicional família máfio-judaica pendurado lá na revistaria para o passatempo dos consulentes da clínica.
Insensíveis, por sinal, pois de todas as outras publicações sobre diferentes frivolidades, só a desta capa mantinha-se ali, sem despertar o menor interesse:
http://3.bp.blogspot.com/-pHNlo9L8r_8/T6MEEjMDDlI/AAAAAAAAKac/CRXY56kBlRg/s200/aaaaaaa.jpg
Posso imaginar que as demais publicações escolhidas pelos que aguardavam, também seriam de edições antigas, mas aquela me intrigou pelo anacronismo do assunto de capa, já tão sobejamente desqualificado e ridicularizado pelas investigações dos crimes cometidos pela dupla Demóstenes-Cachoeira.
Claro que como todo mundo também sei que quem adotou o Mensalão foram as famílias da mídia brasileira em geral, coligadas ou cooperadas num esforço inaudito para dar corpo e vida à cria batizada pelo Roberto Jefferson. E que depois de desafinar aqui e ali nas tantas festinhas em comemoração à unção do prematuro (há quem diga que se parido uns 6 meses depois, Lula não se reelegeria), Jefferson o passou para as mãos de CPIs e da Mídia num claro “Segura que o filho é teu!” e, antes de ser mijado, escafedeu-se sem sequer se despedir do vigário.
Não é pra menos! Nem os pais da criança aguentavam mais o chato daquele padrinho metido a barítono! Mas a verdade é que até aí ninguém sabia quem eram os pais da criança (se é que assim se pode chamar o monstrinho prematuramente abortado) e acabou sendo alimentado e criado com muito carinho nas mesas de edição dos Marinho, dos Frias, dos Mesquitas. E dos Civita também, lógico!
Diariamente saia de uma casa ia pra outra a qualquer hora e sobretudo nas madrugadas de lançamento de circulação, crescendo a olhos vistos, engordando com todos aqueles mimos e atenções.
No entanto, apesar de tanto zelo o moleque não passou de ano em 2006. Um espanto! Depois de tanto biotônico, tantos cuidados e fermentos, tudo para se moldar em enorme rapagão, um gigante a papar qualquer eleição que viesse a frente... deu-se em raquítico!
O que poderia ter havido? - perguntaram-se os que o adotaram. Adotivos, mas tão corujas quanto biológicos fossem, chegaram até culpar todo o resto da nação por não marchar de acordo com o passo do pupilo.
Culpa do padrinho canastrão não foi, mas já não adiantava mais entoar a mesma ária e se foi produzindo outros cruzamentos, promovendo outros abortos, e até a Mônica Serra, experiente no assunto, entrou nesse parir de monstruosidades em origami, como a bolinha de papel que detonou com a careca do marido. Nada deu certo e como com toda a ninhada que posteriormente veio de roldão, o Mensalão também foi abandonado.
Convenhamos que não foi pra menos! Afinal, embora tenha cumprido galhardamente com parte de seu papel ao promover bengaladas no José Dirceu, acabou provocando a ascensão e o reconhecimento nacional à Dilma Rousseff. Ou seja: trocou 6 por meia dúzia. Tirou o Palocci e pôs o Mantega! Mexeu com quase metade da equipe do governo Lula, mas o governo Lula provou-se ser mais do dobro de sua própria metade e acabou elegendo a sucessora que não precisou nem bater o pé pros vira-latas que latiam de longe, já receosos desde quando o Agripino Maia enfiou o rabo no meio das pernas, num tal aperto de um olho que os outros dois não paravam de piscar.
No entanto, a pergunta permanecia no ar: quem seriam os pais naturais do Mensalão? Os adotivos foram vários, entre os quais destacam-se as mais insignes famílias da mídia brasileira, mas até aí nenhum segredo. O assunto até andava meio morto, ainda que amornado pela previsão do julgamento do caso, há tantos anos requerido por seu principal acusado, o Dirceu.
Já se viu isso em algum lugar da história: um acusado implorar pelo próprio julgamento?!!
Pois quando a paternidade do Mensalão enfim se explicita, me espantou na esquecida edição pendurada ali na revistaria da clínica lotada de gente, hoje de manhã, o resgate do tema na capa do boletim dos Civita. Como havia muita gente que chegou na minha frente, não poderia deixar de tomá-lo às mãos, até para distrair o desconforto do jejum imposto, impondo outro ainda pior.
Pra minha sorte não foi assim nem com um nem com outro, pois a despeito de meu atraso na chegada fui chamado logo. Talvez em consideração ao duplo desconforto, o fato é que não tive de me expor à matéria e só deu para ler o apelo do editorial. Foi o que bastou para lembrar do conteúdo do link abaixo, que ainda nesta mesma semana distribui a todos meus correspondentes.
Copio novamente, aqui, o mesmo link da entrevista do PHA com o Ernani de Paula, ex-correligionário e amigo do corrupto do DEM e do Contraventor, para que melhor se possa dimensionar o desespero dos Civita que, por enquanto, são os mais intimamente envolvidos com os pais biológicos da criança, embora se saiba não terem sido os únicos a se responsabilizar pela engorda do monstrengo.
Estes demais, antes do galo cantar já tentam negar o topete do Cachoeira ou a calvície do Demóstenes, mas o maternal sangue judaíco-siciliano clama por aquele a quem amamentou, implorando pelo filho pródigo! Quem encontrar, favor avisar pelo amor do deus do Vaticano e das Sinagogas!   

ASSISTA O VÍDEO YouTube :
http://www.youtube.com/watch?v=ikyTx8PjBzQ&feature=related

terça-feira, 15 de maio de 2012

Síntese da MIDIA IMPRESSA


Europa/crise/queda de mercados – Folha e Estado dão altos para crise na Europa. Folha diz que “Crise europeia derruba mercados”. Relata que o prolongado impasse político na Grécia, novas preocupações com o futuro do euro e a derrota eleitoral do partido da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, derrubaram os mercados. Os investidores do mundo todo fugiram das aplicações de maior risco para buscar opções mais seguras, como os títulos públicos dos EUA. Folha afirma que, na avaliação da equipe da presidenta Dilma, o risco de que a alta do dólar gere inflação ainda é pouco preocupante por dois motivos: o impacto do câmbio nos preços diminuiu nos últimos anos e o Banco Central tem como reagir, se for preciso. Anota, contudo, que “técnicos” avaliam que o governo deve evitar que o dólar se descole dos R$ 2. Até esse patamar, a avaliação é que não há pressão sobre a inflação, não comprometendo a estratégia de seguir reduzindo os juros. Estado, “Risco grego para o euro afeta bolsas e dólar encosta em R$ 2”. Acrescenta que o Ibovespa fechou no menor nível do ano. Estado aponta que, “em outro sintoma da crise”, a agência de classificação de risco Moody"s anunciou o rebaixamento no crédito de 26 bancos italianos. Reproduz declaração do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que falou que o movimento não preocupa o governo. "O dólar alto beneficia a economia brasileira, porque dá mais competitividade aos produtos brasileiros. Significa que a indústria brasileira pode competir melhor com os importados, que ficam mais caros, e pode exportar mais barato. Portanto, não preocupa." Globo registra na capa que “Crise faz dólar bater R$ 2 e Bolsa cair 3,2%”. Também cita Mantega sobre alta da moeda não preocupar. Correio acompanha no registro de capa “Europa em crise derruba Bolsas e dólar bate em R$2”. Valor avança para o diagnóstico de que “Grécia corre o risco de ser expulsa da União Europeia”. Afirma que decisão nesse sentido colocaria o setor bancário do continente sob pressão extrema. “Mas o risco, para muitos, é menos o impacto imediato e mais o exemplo que a Grécia daria para outras economias problemáticas do bloco”. Editorial da Folha, “O tropeço de Merkel”. Editorial do Estado, “O aperto perde de novo”. China/desaceleração – Valor, na capa, destaca que “China tem desaceleração acentuada”. Ecoa dúvidas sobre os dados oficiais do PIB, que seriam pouco confiáveis. Melhores indicadores do nível de atividade econômica seriam o consumo de energia elétrica, os volumes de carga ferroviária e a concessão de crédito bancário para avaliar o nível da atividade econômica. Resultados desses três indicadores mostram uma queda vertical do nível de atividade. A oferta de energia, por exemplo, cresceu 0,7% no mês passado em relação ao mesmo período de 2011 – em março, o aumento foi de 7,2%. Brasil/“pacote” – Brasil Econômico dá em manchete que “Governo desiste de meta para PIB, e agora busca ‘sensação’ de 4,5”. Sem revelar fonte, jornal afirma que equipe econômica “deixou da lado” previsão de crescimento para este ano, acompanha de perto a evolução dos indicadores e “a qualquer momento” pode anunciar pacote com novas medidas de estímulo ao consumo, como “outra redução de IOF, provavelmente para veículos”.
Comissão da verdade/ “lado assassinado” – Folha chama na capa que “Advogada defende que comissão não investigue esquerda”. Noticia que a advogada Rosa Maria Cardoso da Cunha, 65, integrante da Comissão da Verdade, afirmou ontem que o órgão foi criado para investigar os crimes de agentes de Estado que atuaram na repressão aos opositores da ditadura militar de 64. Frise que a declaração foi dada depois que outro integrante do grupo, o ex-ministro da Justiça José Carlos Dias, defendeu à Folha que também sejam apurados atos de pessoas que participaram da luta armada contra o regime. Ao Globo na edição de hoje – que na capa traz chamada “Comissão da Verdade já se divide sobre foco” –, Dias diz que foi mal compreendido pela Folha sobre ênfase dada ao jornal na edição de ontem sobre “dois lados”. Internamente, O Globo destaca no alto parte da fala do ex-secretário dos Direitos Humanos Paulo Sérgio Pinheiro ouvido pelo jornal: “Não tem dois lados, o outro lado foi assassinado”. Ainda internamente, Globo destaca declaração absurda do ex-chefe da Oban, acusado de tortura, tenente-coronel reformado Maurício Lopes Lima: “militar não torturou”. Ainda nas páginas internas, Globo registra que “Militares vão monitorar Comissão da Verdade”, em referência a reservistas da Escola Naval, e – em outra matéria – “esculachos” ontem em 11 estados. Lima foi alvo de um. Estado, na capa, destaca em “Comissão da Verdade não vai investigar militantes”, afirmação de Pinheiro que endossa edição de O Globo. "O único lado é o das vítimas", disse o diplomata, um dos integrantes da comissão, ao jornal. BE chama na capa que “A Comissão da Verdade chega às ruas com pichação”.
Obras da Copa/Fifa/“situação crítica” – Folha destaca na capa que “Obras da Copa têm situação 'crítica', afirma balanço da Fifa”. Jornal diz ter obtido documento da entidade que vê risco de atraso, em alguma proporção, em cinco estádios do Mundial. Entidade demonstra preocupação especial com o estádio de Natal, classificado como de "alto risco" de não ser concluído a tempo para a Copa. As arenas de Manaus e Cuiabá são consideradas de "médio risco" e as de Curitiba e Porto Alegre, de "baixo risco", segundo a entidade. Segundo a mesma fonte, “o panorama para a Copa da Confederações de 2013 é ainda mais crítico” porque a Fifa aponta atrasos em três das quatro sedes já anunciadas para a competição, tratada como ensaio para o Mundial. Aldo – Em entrevista ao Brasil Econômico, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, diz que “se há algum atraso, é uma fração que não é significativa”. Ele se recusou a voltar a abordar a frase infeliz de Jérôme Walcke e defendeu maior controle sobre a CBF, que é o que a capa usa de “gancho” para chamar a matéria. Num desdobramento interno da entrevista, Rebelo – ex-relator de mudanças no Código Florestal – acusa a mídia que cobre meio ambiente de “desinformada”. Jornal também destaca internamente que na opinião de Aldo, “Orlando Silva foi injustiçado”.
PF x Subprocuradora – Folha chama na capa que “Procuradora não quis investigar Demóstenes, diz PF”. Informa que a Polícia Federal afirmou ontem que o delegado Raul Alexandre Marques Souza, da Operação Vegas, não pediu para a Procuradoria-Geral da República suspender o caso como forma de não atrapalhar outras investigações. Explica que a decisão, tomada em 2009, adiou a revelação dos laços do senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO) com o contraventor [para Folha, empresário] Carlinhos Cachoeira. Lembra que a nota da PF contraria a versão de Cláudia Sampaio, subprocuradora-geral da República e mulher do procurador-geral da República, Roberto Gurgel. Ela afirma que a decisão de não levar adiante as investigações da Operação Vegas foi tomada em conjunto com o delegado Souza. Cachoeira/adiamento – Globo dá manchete para “Ministro do STF suspende depoimento de Cachoeira”. Informa que o ministro Celso de Mello acatou pedido da defesa de adiamento do depoimento do bicheiro, marcado inicialmente para hoje. Os advogados de Cachoeira pediram que ele só seja ouvido depois de ter acesso à investigação. O STF ainda vai decidir se o contraventor tem ou não direito de ver os documentos da CPI antes de depor. Estado acompanha registro de capa, “Supremo dá a Cachoeira o direito de não ir hoje à CPI”. E Correio, “Decisão do STF adia ida de bicheiro à CPI”. Senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), presidente da Comissão, assina na Folha, “CPI em tempos de democracia”. [Ver Delta em “Outros Assuntos”]
Carinhoso” – Globo chama na capa que, “Contra miséria, Carinhoso dá por ano mais R$ 2 bi”. Informa que a presidenta Dilma lançou ontem a Ação Brasil Carinhoso, que eleva o valor do Bolsa Família para 2 milhões de domicílios com crianças de até 6 anos. O objetivo é assegurar que essas famílias fiquem acima da linha de miséria e consigam renda mensal por pessoa de pelo menos R$ 70. Informa ainda que o custo será de R$ 2,1 bi por ano. Folha, internamente, “Dilma anuncia pacote para tirar 6,5 milhões de pessoas da miséria”. Estado, internamente, “Foco de novo pacote social, creches de Dilma não vingaram”. Editorial da Folha “Foco nas crianças” diz que, “apesar da índole publicitária, plano Brasil Carinhoso tem o mérito de contemplar faixa etária até seis anos, a mais desassistida pelos programas”; do Estado, “Falta uma Fifa para as creches”.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

A Farsa que se Disfarça

Por Carlos Saraiva 

 Ela se disfarça em moral, ética, indignação e ensaia alguns movimentos “cansados”. O discurso da “corrupção, nunca antes vista nesse país”, toma conta do imaginário, sobretudo de uma classe média, sedenta para esconder sua própria culpa.Todos esses disfarces, servem à um discurso ideológico, que a elite conservadora utiliza para a manutenção de sua hegemonia.Ao passar do discurso para a prática da “cruzada” moralista, anticorrupção, a elite aprofunda sua autofagia e começa à vomitar sua própria podridão. Dossiês, montados ou não, fabricados ou não. Videos, adredemente preparados, grampos sem audio, escondem nos “escandalos” midiatizados, a realidade das disputas ideológicas. Este movimento começou quando a Senzala, ousou instalar-se na Casa Grande. Os “Escravos”, querendo exercer o papel dos “Senhores”. Assim , os habitantes da “senzala”passaram à atentar contra a ética, a moral e os bons costumes dos “senhores da “Casa Grande”. Ainda não nos livramos do complexo de “escravos” e continuamos constrangidos na nova morada. Ainda nos sentimos “culpados” por essa “ousadia” e transgressores da “moral” e da ética que nos foi imposta à segui-las e respeitá-las. Alguns poucos, assimilaram essa lógica e passaram à praticá-la como novos “senhores” à serviço próprio, no terreno privado. Precisamos, contudo, antes de ficarmos submissos, confusos e pior defensivamente vítimas desse processo, atentarmos para que a base de todo esse discurso e do “espetáculo”da corrupção, a moral e a ética, está a disputa politica, alicerçada no confronto ideológico. Sabemos que a chamada “Grande Mídia”, sempre foi ideológicamente, contrária aos interesses populares e portanto à transformação social, como representante do pensamento da elite conservadora. A novidade é que essa Mídia, tornou-se militante. E assumiu de forma clara um papel partidário no embate politico, contra a esquerda, o governo e em especial o PT e sua grande liderança Lula. O exemplo mais recente é do Sr. Procurador da Republica. O Sr. Procurador da Republica, trocou a toga pelo boné. De Procurador da Republica, representante e defensor dos interesses da sociedade brasileira, transformou-se no militante Gurgel. Ao tentarem expulsar os “ penetras” do seu habitat, cairam em um perigoso e tragicômico espetáculo autofagico, expondo sua própria podridão. A “Privataria Tucana”, começou à desnudar a farsa e agora a “Cachoeira” da promiscuidade público-privada, ameaça a “ Nau dos insensatos, cínicos, amorais e aéticos”, sossobrar no “Mar de Lama” que eles próprios fabricaram. Tentam em um último esforço de sobrevivência, trocar os ocupantes da “Nau” ou ao menos alguns para lhe fazerem companhia. Assim , levantemos nossas cabeças, vamos aumentar o número de ocupantes dessa nova “Casa Grande” que é o novo Brasil que se levanta, onde não há mais lugar para “Senzala”, nem para “escravos”. Sejamos todos “senhores” de nosso destino. Vamos lutar por  uma “moral”, por uma “ética”, construida pelo povo e na defesa dos interesses de toda nação. Senhor Gurgel, o PT, não tem medo do julgamento do STF. O Sr. E muitos, devem estar com muito medo das “cachoeiras” de revelações, que podem inclusive desmascarar a Farsa, denominada “Mensalão”.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Síntese da MIDIA IMPRESSA


STF/Gurgel/“blindagem” – Estado destaca como manchete que “STF ‘blinda’ procurador pressionado por petistas”. Diz que, “alvo de integrantes da CPI do Cachoeira com ligações com os mensaleiros”, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, foi "blindado" ontem pelo Supremo Tribunal Federal. Relata que ministros do STF “deixaram claro” que Gurgell não deve ir à CPI para explicar por que não abriu em 2009, durante a Operação Vegas, da Polícia Federal, um inquérito para investigar o envolvimento de políticos com o contraventor Carlinhos Cachoeira. Ressalta a tese de que, sob ameaça de ser convocado, Gurgel relacionou a pressão que sofre ao julgamento do mensalão e afirmou que sua estratégia foi aguardar mais indícios contra os políticos para instaurar o inquérito. Folha acompanha em “Ministros do Supremo defendem procurador”. Relata que Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa afirmaram que o procurador-geral não deve ir à CPI do Cachoeira. Reporta que Gurgel disse que recorrerá ao STF caso seja convocado a depor, enquanto o presidente do PT, Rui Falcão, afirmou que “ninguém está acima da lei”. Editorial da Folha, “Vale-tudo na CPI”; do Globo, “Tentativa mensaleira de manipular a CPI”; do Estado, “O golpe dos mensaleiros”. 
 
MP x venda da Delta – Globo destaca como manchete que “MP diz que a venda da Delta é ilegal e imoral, e abre inquérito”. Notícia é que o Ministério Público Federal no Rio abriu inquérito civil público para apurar irregularidades na venda da construtora Delta, investigada pela CPI do Cachoeira, à J&F Holding. O foco da investigação, diz jornal, é a participação do BNDES na maior empresa da holding, a JBS. "Caso se concretize esse negócio, por força de sua participação acionária no grupo JBS, o BNDES, em evidente afronta aos princípios de legalidade e moralidade, irá inexoravelmente participar de empresa sobre a qual recaem notícias da prática de graves ilicitudes e que se sujeita a ser declarada inidônea para contratar com o poder público", afirma o procurador Nívio de Freitas. Jornal registra que o BNDES disse que não foi consultado e que, mesmo que a venda se concretize, não será sócio da Delta. Folha, internamente, traz que “Governo deu aval a negócio com Delta, diz empresário”. Estado, internamente, informa que “Planalto procura se distanciar de negócio Delta/J&F”. Editorial do Estado, “Dilma, o BNDES e o caso Delta”. Perillo – Na mesma chamada, Globo relata que, ao depor na CPI, o delegado da PF Matheus Mella Rodrigues, coordenador da Operação Monte Carlo, complicou a situação do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). Segundo o delegado, a casa de Perillo foi vendida a Cachoeira por meio de um intermediário e teria sido paga com cheques. Folha abre chamada de capa para noticiar envolvimento de Perillo e Cachoeira, “Tucano fez negócios com Cachoeira, diz delegado à CPI”. BE chama na capa que “Perillo e Delta se complicam na CPI”. Tentáculos – Panorama Político, no Globo, afirma que “tentáculos de Cachoeira” mantinham “canais abertos nos governos Siqueira Campos (TO), Sinval Barbosa (MT) e Raimundo Colombo (SC). Numa gravação, o suplente de senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) aparece numa operação de lavagem de dinheiro num banco suíço”.

MP-DF/Operação Saint-Michel – Correio diz na manchete que “Caso Cachoeira faz MP denunciar 8 em Brasília”. Informa que o Ministério Público do Distrito Federal pede nova prisão preventiva do bicheiro e do contador da quadrilha por tráfico de influência e tentativa de fraudar licitação de bilhetagem eletrônica do DFTrans. Negócio é avaliado em R$ 60 milhões. Na ação penal, que tramita na 5ª Vara Criminal de Brasília, os promotores de Justiça do Núcleo de Combate às Organizações Criminosas (NCOC) se basearam em escutas da Operação Monte Carlo e em documentos apreendidos no desdobramento da investigação federal contra Cachoeira, a Operação Saint-Michel, realizada há 15 dias no DF, em Goiânia, em Anápolis e em São Paulo. A denúncia inclui o contador da organização liderada por Cachoeira, Giovani Pereira da Silva, que está foragido da Justiça desde 29 de fevereiro; o braço direito do contraventor, Gleyb Ferreira da Cunha; o vereador de Anápolis (GO) Wesley Clayton da Silva (PMDB); e dois supostos lobistas Dagmar Alves Duarte e Valdir dos Reis. Folha, internamente, destaca que “PSDB evita decidir destino de deputado [Carlos Alberto Leréia, GO] ligado a Cachoeira”. Matéria diz que tucanos vão esperar depoimento dele na CPI.

Comissão da Verdade/nomes – Jornais destacam nas capas anúncio pela presidenta Dilma dos nomes que compõem a Comissão da Verdade, criada para investigar a violação aos direitos humanos entre 1946 e 1988. Folha, em “Dilma indica grupo que vai investigar crimes na ditadura”, ressalta que a lista Rosa Maria Cardoso da Cunha, advogada que defendeu Dilma quando foi presa pelo regime militar. Folha relata que farão parte da comissão José Carlos Dias (advogado e ministro da Justiça no governo FHC), Gilson Dipp (ministro do STJ e do TSE), Cláudio Fonteles (procurador-geral da República no governo Lula), Maria Rita Kehl (psicanalista próxima ao PT paulistano), José Paulo Cavalcanti Filho (advogado pernambucano) e Paulo Sérgio Pinheiro (presidente de uma comissão da ONU sobre a Síria e secretário de Direitos Humanos sob FHC). Folha reporta também que a cerimônia de posse dos integrantes será no próximo dia 16, com a presença dos ex-presidentes Sarney, FHC e Lula. Globo acompanha em “Surge, enfim, a Comissão da Verdade”. Destaca na chamada a presença de Rosa Maria Cardoso da Cunha. E Estadão, “Dilma escolhe membros da Comissão da Verdade”; e Correio, “Quem vai investigar os crimes da ditadura”.
 
Caso Celso Daniel/três condenados – Folha destaca na capa que “Júri condena três pela morte de Celso Daniel”. Informa que, após 12 horas de sessão, o Tribunal do Júri em Itapecerica da Serra (SP) condenou três acusados pela morte, em 2002, do prefeito de Santo André, Celso Daniel. Relata que os jurados aceitaram a tese da acusação de que o trio integrou grupo contratado pelo ex-segurança de Daniel, Sérgio Gomes da Silva, o Sombra, para matá-lo. As penas vão de 18 a 24 anos. Anota que “o prefeito do PT foi escolhido para coordenar a campanha de Lula à Presidência”. Reporta ainda que o Sombra espera julgamento em liberdade.

Crédito/queda – Valor, na manchete “Crédito cai com arrocho de bancos e menor demanda”, informa que a oferta de crédito está crescendo em ritmo bem menor que nos últimos anos, e esse freio retarda a expansão da economia. Explica que fenômeno é explicado, de um lado, pela renda disponível de uma parcela substancial da população, que entrou com força no mundo dos empréstimos, diminuiu e, com ela, a demanda por financiamentos, e, de outro, pelo fato de os bancos observarem a elevação do comprometimento da renda e da inadimplência, tomando-se mais seletivos nas operações de crédito. Relata que há um sensível aperto na concessão de financiamentos para veículos, que com seus R$ 177,4 bilhões de estoque de crédito em março era um dos segmentos que mais cresciam, ao lado do crédito pessoal, com R$ 253,3 bilhões. Traz foto de capa do presidente do BC, Alexandre Tombini, em cuja legenda anota previsão dele de que inadimplência vai se estabilizar com o crescimento da economia no segundo semestre. Folha, internamente, informa que “Caixa acelera crédito e precisa de aporte urgente do governo”. Diz que que mercado estima injeção de R$ 10 bilhões do Tesouro Nacional. Também internamente, Folha reporta que “Mantega diz que pode tomar mais medidas para estimular produção”. Estado traz registro interno semelhante. Em outra chamada, Folha informa que “Governo promete agir para evitar que dólar ultrapasse os R$ 2”. Assunto conexo, Folha chama na capa que “Comércio exterior chinês sofre forte desaceleração”. Brasil Econômico chama na capa que “Governo pretende atualizar a indústria”, desafio lançado pelo ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, em seminário apoiado pelo jornal.

Izabella/Rio+20/“ousadia” – Globo traz na capa foto-legenda “As desprotegidas áreas verdes da Rio+20”, em que relata que mendigos dormem de dia no Campo de Santana, “um dos vários parques que, em vez de oferecer áreas verdes, viraram abrigo a céu aberto da população de rua e de usuários de crack, na cidade que vai abrigar a Rio+20”. Internamente, em “Rio+20 deve aprovar obrigação aos países”, reporta que a ministra Izabella Teixeira defendeu ontem que seria "excepcional" se a Rio+20 terminasse com a aprovação de "obrigações" para todos os países, especialmente nas áreas de produção e consumo sustentáveis, ao participar no Rio do "Sustentável 2012: uma agenda para a Rio+20", Jornal relata que a ministra classificou como “maior ousadia do Brasil”, como país anfitrião da conferência, garantir que todos os participantes do encontro se sintam incluídos no debate.

Educação superior/investimentos – Valor, em “Ensino superior”, diz na capa que reitores das 59 universidades federais do país entregaram nesta semana ao ministro da Educação, Aloizio Mercadante, propostas para um novo plano de expansão para o setor. O projeto prevê novos gastos da União de R$ 2 bilhões por ano até 2017 e seria, segundo o jornal, uma espécie de reedição do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni 2007-2012), que ajudou a ampliar a infraestrutura universitária, mais que dobrar o número de matrículas e contratar novos professores e funcionários.

Tráfico/STF x Lei de Drogas – Folha dá na manchete que “Traficante poderá responder ação em liberdade, diz STF”. Jornal destaca que, ao julgar um pedido de habeas corpus para um homem detido em 2009 em São Paulo com quatro quilos de cocaína e uma pedra de crack, o STF decidiu, por 7 votos a 3, que traficantes presos em flagrante podem aguardar o julgamento em liberdade. A maioria dos ministros considerou inconstitucional artigo da Lei de Drogas que proíbe conceder liberdade provisória a esses presos. Internamente, Folha traz avaliação que “Decisão é ruim para a sociedade, diz delegado” de narcóticos em SP. Estado também registra notícia na capa.

Copa/ “xerife” – Globo, em “Um professor é o novo xerife da Copa”, chama na capa que o professor de Relações Internacionais, o comunista Luís Fernandes, secretário-executivo do Ministério do Esporte, comandará as negociações com a Fifa para a Copa de 2014 no Brasil. Editorial da Folha, “Copa sob controle central”. Estado, internamente, informa que “Dilma quer baixar preço de hotéis no Rio”. BE chama na capa que “Copa criará mais de 380 mil empregos temporários no país”.

Energia/indústria – Globo chama na capa que “Indústria terá tarifa menor de energia”. Informa que a presidenta Dilma “mandou” a equipe econômica reduzir o custo da energia elétrica no país. Jornal afirma que tributos e encargos serão cortados para tornar mais baratas as contas de luz da indústria, “que estão entre as mais caras do mundo”.

Fraude-SP/créditos tributários – Valor informa na capa que “Receita descobre fraudes com créditos tributários”. Notícia é que a Receita Federal em São Paulo descobriu um golpe que envolve a criação de falsos créditos tributários para abater impostos. O Fisco calcula que, desde o início do ano, cerca de R$ 110 milhões em créditos tributários falsos foram lançados. Como houve mais casos no Estado, a Receita em São Paulo aumentou a fiscalização. Os golpistas usam um documento eletrônico por meio do qual as empresas declaram o pagamento de tributos com a compensação de créditos. Eles informam créditos com base em processos administrativos que muitas vezes não existem ou declaram valores e tributos alterados.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Síntese da MIDIA IMPRESSA

Gurgel/acusação/mensaleiros – Estado e Folha dão manchetes para declaração do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que acusou os réus do mensalão de serem os mentores dos ataques contra ele. Estado estampa no alto que “Procurador-geral vê réus do mensalão por trás de ataques”. Relata que parlamentares envolvidos na investigação contra a organização criminosa chefiada por Carlinhos Cachoeira afirmam que o procurador-geral prevaricou, pois havia indícios das ações de Cachoeira e de seus elos com políticos desde 2009, na chamada Operação Vegas, da Polícia Federal. Estado diz que, sem apontar um responsável, Gurgel afirmou que é "notório" quem seria o principal interessado nas críticas, mas negou-se a responder se seria o ex-deputado José Dirceu, “acusado pelo Ministério Público de ser o ‘chefe da quadrilha’ que operou o mensalão”. As críticas, insinuou o procurador, segundo o jornal, seriam uma estratégia de réus do mensalão para fragilizar a acusação. Folha, “Protetores de mensaleiros me atacam, diz procurador-geral”. Globo entrevista Gurgel e anota na capa que “Procurador ataca ‘quem teme mensalão’”. Por escrito – Correio destaca na capa que “Procurador negocia para depor por escrito”. Informa que assessores de Gurgel negociavam ontem para que o depoimento à comissão se limite a um questionário, a ser respondido por escrito. Em outra chamada de capa, Correio noticia que “STF define regras de julgamento”. Anota que ainda não há data marcada, mas relator do caso estima que o julgamento vai durar três semanas. Folha informa internamente que “Cachoeira ordenou sequestro, diz delegado” Raul Alexandre Souza, no depoimento “sigiloso” à CPI do contraventor. Imprensa – Folha reporta internamente que “Planalto tenta conter impulso do PT para investigar imprensa”. Cita o deputado Cândido Vaccarezza (SP), que considera “cedo” para convocar o redator-chefe de Veja em Brasília, Policarpo Júnior, e o líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto, que defende a convocação do jornalista caso fiquem comprovadas as mais de 200 ligações entre ele e Cachoeira. Editorial do Estadão ironiza declarações do presidente do PT aludindo ao ex-ministro da Justiça: “Falcão, o do PT, insiste”.
Delta/cobrança – Globo e Valor dão manchetes para Delta, empresa-pivô do Caso Cachoeira. Globo, em “Investigada por desvios, Delta ainda cobra R$ 1 bi de governos”, destaca entrevista com o presidente-tampão do Conselho Administrativo da empreiteira, Carlos Alberto Verdini, que afirma na conversa que a empresa tem direito adquirido em relação a contratos assinados com o poder público e ameaçou ir à Justiça receber o dinheiro. Segundo ele, a Delta tem R$ 4,5 bilhões em 200 contratos com União, estados e municípios, e é credora de quase R$ 1 bilhão. Anota que a J&F Holding, que controla o frigorífico JBS, assumirá a gestão da Delta, mas só decidirá se compra a empreiteira após auditoria. O BNDES detém 31,41% da JBS, principal empresa sob controle da J&F Holding. “Negócio inusual” – Valor: “Em negócio inusual”, J&F vai gerir Delta sem pagar nada”. Informa que “em um dos mais intrigantes negócios do ano”, a construtora Delta – “que vê um portfólio de R$ 4 bilhões em obras públicas ruir com as denúncias” – terá sua gestão transferida a um novo grupo que não gastará um centavo para assumir seu controle. Registra que a JBS tem o BNDES como um de seus maiores acionistas, com 31,4% do capital. Valor registra internamente que “Planalto nega consulta e desaprova compra”. Cabral – Globo, na capa, informa que “Comissão de Ética criada por Cabral ameaça renunciar” se governo do Rio rejeitar a proposta de mudança que permite investigações contra governador. Folha, internamente, destaca que “Cabral gastou R$ 7 mil em dois dias de agenda oficial em Paris” em setembro de 2009, quando foi fotografado com o dono da Delta, Fernando Cavendish.
Celso Daniel/cinco vão a julgamento – Folha destaca internamente que “Promotoria mantém tese de crime político no caso Celso Daniel”. Reporta que, para Ministério Público, morte do prefeito de Santo André está ligada a desvio de recursos.  Gancho da matéria é que cinco acusados serão julgados hoje. Anota que entendimento da Promotoria “vai na contramão” das investigações da polícia, que viu crime comum no assassinato do petista em 2002. Matéria diz ainda que a Promotoria também cita ação em que o PT e o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) são acusados de desviar recursos de Santo André. Estado, internamente, diz que “Para promotor, Celso Daniel queria ‘dar fim à corrupção’”.
Inflação/juros – Folha destaca na capa que “Inflação supera expectativas e sobe em abril”. Reporta que, em plena ofensiva do governo pela queda dos juros, a inflação surpreendeu e voltou a subir em abril. O índice oficial (IPCA) teve alta de 0,64%, o triplo do registrado em março. O aumento foi impactado pela alta do preço de cigarro e remédio. Na mesma chamada registra que o dólar subiu e fechou a R$ 1,963, o maior valor desde julho de 2009, mote de chamada de capa do Estado, “Dólar preocupa o governo”. Segundo essa, preocupação é por causa do efeito sobre inflação e atividade econômica. Em outra chamada de capa, Estado diz que “Inflação pelo IPCA triplica em abril e vai a 0,64%”. Explica que, de acordo com o IBGE, a inflação de alimentos dobrou, mas cigarros, empregados domésticos e remédios, juntos, foram responsáveis por quase 40% do índice no mês. Alerta que em maio os reajustes de energia elétrica, água e esgoto e táxi devem pressionar o IPCA. Título de capa do Globo liga as duas coisas: “Inflação dá salto e BC pode frear juro baixo”. Valor informa na capa que “Governo pode reduzir compulsórios”. Reporta que o governo pretende atender algumas demandas do setor bancário, elencadas em documento entregue recentemente pela Febraban ao Ministério da Fazenda. Afirma que não há como reduzir o compulsório de forma horizontal, mas o Banco Central pode diminuí-lo para uma ou outra linha de crédito, assim como a Fazenda pode baixar o IOF de forma mais seletiva. Folha registra internamente que “BB reduz taxa para microempresa” e, em outra retranca, que “BB e Caixa cobram juro mais alto que banco menor”. BC – Globo traz matéria interna que diz que “Analistas temem que BC ceda a pressões políticas”.
Massa salarial/crescimento – Valor destaca na capa que “Massa salarial já subiu 6,2% no ano”. Informa que no primeiro trimestre a massa salarial nas seis principais regiões metropolitanas cresceu 6,2% acima da inflação em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo o jornal, o que explica o fenômeno são os setores que não sofrem com a concorrência externa, não sendo afetados diretamente pelo câmbio valorizado – entre eles a construção civil, na qual o aumento da massa salarial chegou a 7,9%. Na construção, o reajuste deste ano de 14,1% para o salário mínimo ajudou a impulsionar o rendimento real, que subiu 12,2% no primeiro trimestre, movimento também influenciado pela escassez de mão de obra
Ibope/Serra 31% x Haddad 3% – Estado ressalta na capa que “Serra tem 31% e Haddad, 3%, na primeira pesquisa Ibope”. Relata que, a cinco meses da eleição, o candidato José Serra (PSDB) lidera a corrida pela Prefeitura de São Paulo, com 31% das preferências, de acordo com a primeira pesquisa Ibope para a eleição municipal. Celso Russomanno (PRB) aparece em segundo lugar, com 16%, seguido de Netinho (PCdoB), com 8%, Soninha Francine (PPS), com 7%, Gabriel Chalita (PMDB), com 6%, e Paulinho da Força (PDT), com 5% e Fernando Haddad (PT), com 3%. Informa que o levantamento ouviu 805 eleitores entre os dias 5 e 7 em pesquisa estimulada. Globo destaca pesquisa internamente. Folha faz apenas registro interno. Estado, internamente, diz que “PT retoma tempo na TV e espera ‘turbinar’ Haddad”. Dilma – Estado, internamente, informa que “Em SP, Dilma tem a aprovação de 65%” segundo a mesma pesquisa. 25% consideram a gestão regular e 8%, ruim ou péssima.
Doméstica/seguro-desemprego – Folha destaca na capa que “Senado estende seguro-desemprego a toda doméstica”. Informação é que a Casa aprovou projeto que estende o seguro-desemprego a empregados domésticos que não estejam inscritos no FGTS — o recolhimento pelo empregador é opcional. Explica que, para ter direito ao benefício, é preciso ter a carteira assinada e ser demitido sem justa causa. O seguro será pago por três meses aos que trabalharam por no mínimo 15 meses. O projeto segue para a Câmara. Correio acompanha em “Seguro contra desemprego para doméstica”.
Salários/parlamentares/14º e 15º – Correio dá manchete para “Senado acaba com 14° e 15° salários”. Reporta que o projeto que põe fim à “farra com o dinheiro do contribuinte” foi aprovado, em plenário, por unanimidade. Relata que a proposta precisa ainda passar pela Câmara. STF – Correio anota na capa em outra chamada que “Remuneração de ministros do Supremo deve chegar a R$ 32.147”. Informa que a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou ontem aumento de 20,3% para os vencimentos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Explica que, com isso, o teto do funcionalismo subirá de R$ 26.723,13 para R$ 32.147,90, o que desencadeará reajustes em cascata para os magistrados de todos os tribunais, que têm o salário vinculado a um percentual do valor recebido pelo ministro do STF. Taxa de limpeza – Folha informa na capa que “Câmara assume gasto pessoal de deputados com taxa de limpeza”. Noticia que os deputados estão isentos de pagar a taxa de limpeza pública, de cobrança obrigatória aos moradores de Brasília. Reporta que a Câmara vai bancar para todos os parlamentares o pagamento do tributo, mesmo os atrasados. Neste ano, o gasto será de R$ 89,6 mil.
Lei Geral da Copa/Senado aprova – Jornais registram internamente que o Senado aprovou ontem a Lei Geral da Copa, regras que garantem o acordo firmado entre governo e Fifa para a realização do evento. Folha reporta que, aprovado sem alteração em relação à redação dada na Câmara, o texto é prioridade para a Fifa e agora vai a sanção presidencial. Diz que senadores reclamaram da pressa na votação, que era pedida pela entidade e pelo governo. Orçamento – Folha, internamente, informa que “Orçamento da Copa vai a R$ 26,8 bi”. Diz que a conta oficial da Copa-2014 aumentou em 15% e atingiu R$ 26,8 bilhões. Relata que esse crescimento se deu em revisão, no final de abril, feita pelo governo federal em relação aos projetos do Mundial.
Brasil/internet lenta – Folha destaca internamente que “Internet no país é só a 40ª em velocidade”. Matéria afirma que a velocidade média da internet brasileira representa 10% da utilizada na banda larga fixa da Coreia do Sul, a mais veloz do mundo em 2011. Informação é atribuída a empresa americana de infraestrutura de rede, que analisou o tráfego de dados na rede da empresa em 187 países. Jornal diz que, numa lista de 50 países com ao menos 25 mil acessos à rede, a Coreia do Sul teve a maior velocidade média, com 17,5 Mbps (megabits por segundo). O Brasil ficou em 40º, com média de 1,8 Mbps -a média mundial foi 2,3 Mbps. Matéria informa que a diferença entre os países é explicada, sobretudo, pelo deficit de cabos de fibra óptica em várias regiões do Brasil, de acordo com especialistas ouvidos pela Folha.
BB/diretoria para o PR – Folha informa internamente que “Dilma dá diretoria do BB a ex-senador do PR”. Afirma que a presidenta decidiu indicar um político do PR para a cúpula do Banco do Brasil. Trata-se o ex-senador Cesar Borges, que substituirá Ricardo Oliveira na vice-presidência de Governo do BB. Jornal diz que, ao convidar César Borges (BA), Dilma contempla o PR, “um partido insatisfeito com a perda de espaço no governo após denúncias de irregularidades no Ministério dos Transportes, que derrubaram o senador Alfredo Nascimento (PR-AM), no ano passado”. Jornal diz ainda que a troca inicia a dança de cadeiras deflagrada pelo Planalto para pôr fim à disputa de poder entre o comando do BB e a Previ.
Superávit/depósitos judiciais – Valor chama na capa que “Depósito judicial ajuda o superávit”. Informa que os depósitos judiciais continuarão inflando a arrecadação do governo federal neste ano. Diz que a Secretaria da Receita Federal estima que a contribuição desses depósitos será de R$ 13 bilhões, o que representa um aumento de cerca de 20% em relação a 2011 (R$ 10,8 bilhões). Relata ainda que o recolhimento, num cenário de desaceleração do ritmo de arrecadação de impostos e contribuições, será grande aliado da área econômica para o cumprimento da meta de superávit primário. Segundo o jornal, o volume esperado em depósitos judiciais equivale a 13,4% da economia prevista para o governo central, de R$ 97 bilhões.
Diabetes/homens – Jornais trazem registros internos do aumento dos casos de diabetes em homens em 18% em seis anos, a partir de entrevista com 54 mil adultos em 27 capitais do país. Folha informa que a tendência de alta se explica, segundo o Ministério da Saúde, pelo crescimento dos diagnósticos e dos fatores de risco da doença, como a obesidade e o envelhecimento da população.
Concessão de rodovias/prorrogação estudada – Valor informa na capa que “Concessão de rodovias deve ser prorrogada”. Reporta que o governo analisa a possibilidade de prorrogar o prazo dos primeiros contratos de concessão de rodovias federais firmados na década de 90, durante o governo Fernando Henrique Cardoso. O alongamento dos contratos, diz o jornal, seria uma forma de fazer com que as concessionárias que estão à frente dessas estradas assumissem obras que não foram previstas no início das concessões, mas que acabaram se tornando indispensáveis por conta do aumento de tráfego nos últimos anos. Afirma que a dilatação dos prazos diluiria o pagamento dessas novas despesas, evitando que o custo extra fosse repassado para as tarifas de pedágio.
Obama/casamento gay/apoio – Jornais destacam que presidente dos EUA, Barack Obama, declarou apoio ao casamento gay. Folha diz que é o primeiro presidente a assumir essa posição e que ele ressalta que a decisão deve ser responsabilidade dos Estados. Matéria da Folha diz que gays são vistos como importantes doadores à campanha de Obama, que concorre à reeleição à Presidência neste ano. Estado destaca na capa que, “Pressionado, Obama se diz favorável ao casamento gay”.
Espanha/estatização/banco – Folha destaca na capa que “Espanha estatiza 3º maior banco do país”. Informa que o governo espanhol anunciou a estatização parcial do terceiro maior banco do país, o Bankia, e prometeu divulgar amanhã novas medidas para o setor financeiro. Relata que o Estado agora será o maior acionista do banco, com 45% do capital, e na prática o controlará. Matéria diz que o anúncio fez a desconfiança dos mercados contra o país aumentar.
Grécia – Globo destaca ao pé da primeira página que “Grécia [está] a beira de convocar nova eleição” diante do “fracasso” dos partidos em formar novo governo. Folha anota internamente que “Grécia falha na 2ª tentativa de formar governo”. Entrevista de Jim O’Neill no Brasil Econômico diz que “O mundo está mais forte e não mais fraco”.
Acesso à informação – Em editorial “Acesso à informação pode não ocorrer”, Globo diz que, “proposta pela Controladoria-Geral da União (CGU) e remetida ao Congresso em 2009, a Lei de Acesso à Informação conseguiu superar uma complicada tramitação, teve aprovação final no Congresso dois anos depois e, às vésperas de entrar em vigor, corre risco de ser uma grande frustração, mais uma lei que não pega".
Rio+20 – Estado na capa registra que “Hollande e Putin vão à Rio+20” depois que presidenta Dilma lhes telefonou.
SP/TCE suspende edital – Estado informa na capa que “TCE suspende edital de R$ 62 mi da USP por suspeita de direcionamento”. Informa que exigências no texto que previa a instalação de iluminação LED no câmpus do Butantã poderiam ser atendidas apenas por uma empresa, dizem representações protocoladas no TCE.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Síntese da MIDIA IMPRESSA

Quarta-feira, 9 de maio de 2012

Bancos/juros/apoio a Dilma – Estado dá como manchete que “Bancos vão baixar juros e indicam apoio a Dilma”. Reporta que os dois maiores bancos privados do País, Itaú e Bradesco, preparam novas reduções de juros cobrados de empresas e pessoas físicas. Diz que medida é uma forma de demonstrar convergência com a agenda da presidenta Dilma, um dia depois de o economista-chefe da Febraban, Rubens Sardenberg, ter colocado em dúvida se a queda de juros resultaria em ampliação de crédito. Ontem banqueiros se esforçaram para desfazer o mal-estar, e a Febraban disse que a opinião de Sardenberg não era oficial. Globo, que manchetou posição de Sardenberg na edição de ontem do jornal, chama na capa que “Bancos se retratam após ação de Dilma”. Brasil Econômico traz como manchete que “Com juros menores, Tesouro vai reduzir repasses para o BNDES”. Segundo o jornal, equipe econômica espera contar com bancos privados para ampliar o financiamento de longo prazo e ampliar o investimento. Investidores/migração – Valor chama na capa que “Investidores migram para títulos privados”. Notícia é que, com a perspectiva de queda da taxa básica de juros abaixo da mínima histórica de 8,75%, os investidores começam a dar preferência às emissões de títulos de crédito privado indexados à inflação em vez dos papéis atrelados à taxa do depósito interfinanceiro (DI), que acompanha a Selic. Diz que hoje quase 90% de todos os papéis emitidos por bancos e empresas no país são atrelados ao DI, que possui correção diária. BE, na capa, aponta “A atual vedete do mercado financeiro” como os títulos públicos atrelados à inflação. Folha chama na capa opinião do ex-ministro Delfim Netto, “No fim das contas, nova poupança vai ajudar as famílias”. Editorial do Globo, “Falta racionalidade na questão dos juros”; do Estado, “O BC domesticado”. 


Demóstenes/processo de cassação – Folha noticia como manchete que “Processo que pode cassar Demóstenes é aberto por 16x0”. Informa que, por unanimidade, o Conselho de Ética do Senado abriu processo de cassação contra o senador Demóstenes Torres (ex-DEM), acusado de defender os interesses de Carlinhos Cachoeira no Congresso e no governo. Os 16 integrantes do órgão aprovaram relatório do senador Humberto Costa (PT) pela abertura de processo. Explica que Demóstenes agora será alvo de apuração do conselho, sem prazo para conclusão. Correio diz na capa que “Processo para cassar senador começa a andar”. PGR/“sob suspeita” – Correio chama na capa que “Delegado lança suspeita sobre a PGR”. Reporta que, ao depor na CPI, delegado da PF diz que investigação da Operação Vegas foi engavetada pela Procuradoria Geral da República (PGR), ao constatar a participação de Demóstenes e de deputados goianos no caso. Diz que, na CPI, aumenta a pressão para que o procurador-geral. Roberto Gurgel, seja convocado. GCU/investigada – Estado destaca na capa que inquérito da Polícia Federal “sugere” que o contraventor Carlinhos Cachoeira operou na Controladoria-Geral da União para prejudicar um concorrente da empreiteira Delta, pivô do escândalo. A CGU deve instaurar sindicância. Imprensa/alvo – Painel da Folha diz na nota “Objeto determinado” que o “PT decidiu investir todas as fichas em transformar a CPI criada para apurar as relações de Carlinhos Cachoeira com autoridades de várias instâncias numa investigação sobre a imprensa”. Em outra nota, seção diz que “a tropa de choque anti-imprensa na sessão secreta de ontem foi composta pelos senadores Fernando Collor (PTB-AL) e Humberto Costa (PT-PE) e pelos deputados Luiz Sérgio (PT-RJ), Doutor Rosinha (PT-PR) e Protógenes Queiroz (PC do B-SP)”. Relator da CPMI, deputado federal Odair Cunha (PT-MG), assina artigo na Folha, “CMPI: princípios, métodos e produtos”. Globo, internamente, noticia que “Imprensa livre é tema de evento”. Editorial do Estado, “O governador [Perillo] e o bicheiro”, fala da “evidente” intimidade entre os dois.
Grécia à esquerda/bolsas caem – Globo elege como manchete que “Grécia à deriva força Europa a apostar no crescimento já”. Informa que os mercados globais “reagiram assustados” ontem à crise política grega. O líder da Coalizão da Esquerda Radical, Alexis Tsipras, defendeu que as medidas de austeridade com cortes de €11 bilhões fossem rejeitadas. As bolsas de Londres, Frankfurt e Paris recuaram, e o euro registrou seu pior patamar nos últimos três meses frente ao dólar. Folha acompanha edição e informa na capa que “Crise política na Grécia derruba Bolsas no mundo”. Relata que, nos EUA, o Dow Jones caiu 0,59%; no Brasil, a Bovespa recuou 1,4%. Na Alemanha, a queda foi de 1,9%, e, na Grécia, de 3,6%. Brasil Econômico destaca na capa que “Hollande tem apoio de líderes da Europa” no discurso de defesa do crescimento.
Belo Monte/linhões – Globo registra na capa que “‘Linhão’ de Belo Monte abastecerá Rio e Minas”. Informa que, segundo o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, cerca de 70% da energia que será gerada na usina hidrelétrica de Belo Monte, em construção no Rio Xingu, no Pará, irão para os estados de Rio de Janeiro e Minas. O projeto prevê investimentos de R$ 8 bilhões para a construção de duas linhas de transmissão de alta potência, equiparando o Brasil à China. Brasil Econômico destaca na capa que “Energia limpa põe Brasil como 3º mais sustentável do G20”, atrás de França e Reino Unido. Globo destaca que “Brasil vai desistir de novas usinas nucleares” até 2021. Cita o secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, que afirmou que o abastecimento a curto prazo será feito a partir de hidrelétricas, secundadas por energia eólica e gás natural. Em outra chamada de capa, BE diz que “Usina nuclear sai da agenda oficial” do governo brasileiro.
Copa/sob nova direção – Globo, em “A Copa suíça e a Copa carioca” [título que funciona como legenda de duas fotos de capa justapostas que contrastam riqueza e pobreza], informa que Governo e Fifa decidiram tirar o poder do Comitê Local, assumindo o comando da organização da competição. Segundo o jornal, o secretário-executivo do Ministério do Esporte, Luís Fernandes, homem de confiança da presidenta Dilma, é o “novo xerife” do Mundial. Matéria diz ainda que a CBF viraria “figura decorativa”. Segundo o jornal, Luís Fernandes se encaixa no perfil que a presidente Dilma imprimiu nos ministérios: “a de um secretário-geral operacional resistente à influência dos políticos”. Estado, na capa, com foto do ministro Aldo Rebelo adiante de dirigentes da Fifa, acompanha em “Governo intervém e assume Copa”. Folha, internamente, noticia mudança. Estado, internamente, informa que governo cogita usar equipamentos das Forças Armadas para suprir demandas de turistas na Copa.
Trabalho escravo/protesto – Correio, em “Grito Contra a exploração”, destaca na capa, com foto, protesto de manifestantes com correntes nas mãos contra o adiamento da votação da Proposta de Emenda à Constituição que prevê a desapropriação de áreas rurais e urbanas onde forem encontrados trabalhadores em condições degradantes. Relata que parlamentares da bancada ruralista conseguiram transferir a análise do projeto para hoje. Ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, deixou claro que a aprovação da proposta é tida como prioritária pela presidenta Dilma. Reporta que líderes da base demonstraram não haver consenso sobre o texto.
Creches/criação de vagas – Folha, internamente, informa que “Governo quer aumentar repasses para criação de vagas em creches”. Informação é que o governo federal quer aumentar vagas em creches para filhos de beneficiários do programa de transferência de renda Bolsa Família. Reporta que, para isso, pretende aumentar em 50% o repasse feito hoje, por meio do Fundeb para cada nova vaga criada pelos municípios para essas crianças, cuja idade é entre 0 e 3 anos. Segundo a Folha, a estimativa é que pouco menos de 4% das crianças do Bolsa Família nessa faixa etária estejam na creche -a média nacional é de 23,6%. Anota que a medida faz parte de pacote de "Ação Brasil Carinhoso", a ser anunciado pela presidenta na comemoração ao Dia das Mães. Diz ainda que Dilma também vai anunciar, no próximo domingo, medidas voltadas à saúde de crianças de até seis anos. Violência de gênero – Globo traz foto impactante de moça e mãe, de 21 anos que foi espancada e teve a cabeça raspada a mando do marido, preso por tráfico, no Rio.
Dilma/Forças Armadas/elogios – Folha, internamente, noticia que “Dilma elogia Forças Armadas e sinaliza com investimentos”. Reporta que a presidenta fez ontem um discurso elogioso às Forças Armadas e à missão de Paz no Haiti, comandada pelo Exército, e acenou com investimentos. Diz que, durante a cerimônia de apresentação dos novos oficiais-generais no Palácio do Planalto, Dilma afirmou que as Forças Armadas devem estar "bem equipadas e bem treinadas" para proteger o patrimônio do país, citando as hidrelétricas e o pré-sal. "Estamos trabalhando para que a recomposição da capacidade operativa das Forças Armadas esteja associada à busca de autonomia tecnológica e acompanhada do fortalecimento da indústria de defesa nacional", afirmou. Informa que a presidenta disse que a missão de paz no Haiti foi liderada com "sensatez e competência" e citou também o controle das fronteiras.
Dívida/portabilidade – Folha informa na capa que “Governo quer facilitar troca de dívida para outro banco”. Relata que, com o objetivo de facilitar o refinanciamento de débitos, o governo estuda medida para que a migração de dívida de um banco para outro passe a ser feita de forma online. A ideia é que a transferência seja realizada pelo banco para o qual o cliente deseja migrar a dívida. Anota que a portabilidade é permitida desde 2006, mas bancos dificultam a operação para não perder cliente.
Mineração/terras indígenas – Valor dá como manchete que “Congresso pode abrir terras indígenas para a mineração”. Explica que as reservas indígenas do país poderão ser liberadas para a exploração de recursos minerais com a retomada, pelo Congresso, de projeto de lei que trata do assunto. Segundo o texto, a empresa que explorar o minério terá de pagar algo entre 2% e 3% da receita bruta do negócio durante todo o tempo de exploração. Anota que, para administrar esse dinheiro, será criado um fundo específico. Estado informa na capa que “FAB vai destruir pistas ilegais em áreas indígenas”. Notícia é que aviões super tucano da base aérea de Boa Vista vão bombardear hoje duas pistas clandestinas de pouso e decolagem localizadas na Amazônia. [Folha, internamente, “Embraer vai voltar à disputa nos EUA”.
Código Florestal/outro – Valor informa na capa que “Senado apressa outro Código Florestal”. Diz que o governo articula a aprovação de uma nova proposta, de iniciativa do Senado, para o Código Florestal. A ideia será discutida hoje em reunião conjunta das quatro comissões técnicas responsáveis pela análise do projeto. Segundo o jornal, a estratégia é que o Senado aprove rapidamente o novo texto e o envie à Câmara antes do prazo para sanção ou veto do Código aprovado pelos deputados, que termina dia 25. Brasil Econômico chama na capa, em “Código Florestal, o debate sem fim”, opiniões do ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues e do ambientalista Roberto Klabin sobre o assunto. Professor de pós-graduação da USP José Eli da Veiga escreve na Folha, “Código Florestal feito por maluco”. Ver charge de Jean Galvão sobre o tema, na Folha.
IPOs/R$ 6 bilhões – Valor destaca na capa que “Nova safra de IPOs pode alcançar R$ 6 bi”. Reporta que CPFL Renováveis e Vix Logística iniciaram ontem os procedimentos para realizar ofertas públicas iniciais de ações, em um movimento que deve contar com pelo menos dez companhias nas próximas semanas, entre elas estão Taesa, LDC Bioenergia e Queiroz Galvão Óleo e Gás. Juntas, essas operações podem alcançar R$ 6 bilhões, conforme as estimativas do mercado.
Plano de Saúde/SUS – Folha informa internamente que “Usuário de plano de saúde terá número de Cartão SUS”. Notícia é que cerca de 30 milhões de usuários de planos de saúde foram cadastrados pelo Ministério da Saúde e ganharam um número de Cartão SUS. A proposta do governo é que as carteirinhas dos planos emitidas nos próximos meses tragam o número da inscrição no cadastro federal, disse ontem o ministro Alexandre Padilha (Saúde). Com o número associado ao usuário do plano de saúde, o ministério pretende cobrar dos planos de saúde o ressarcimento por serviço prestado pelo sistema público. Estado informa que “Planos de Saúde reembolsam SUS em R$ 82,8 milhões”.
Semiárido-NE/pior seca – Estado, internamente, informa que “Semiárido enfrenta pior seca em 30 anos”. Noticia que o semiárido nordestino enfrenta a pior seca dos últimos 30 anos. Os 525 municípios que estão em estado de emergência convivem com a destruição das plantações, a morte de centenas de animais e a falta de água potável. Em Pernambuco, a situação atinge 70 municípios. De acordo com a Secretaria Estadual de Agricultura, a redução das chuvas foi, em média, de 75%, chegando até a 92% em algumas regiões. A grande maioria dos açudes localizados no sertão está com 30% de sua capacidade. Jornal informa ainda que a falta de chuvas provocou a perda de 370 mil toneladas de grãos.