sexta-feira, 11 de maio de 2012

Síntese da MIDIA IMPRESSA


STF/Gurgel/“blindagem” – Estado destaca como manchete que “STF ‘blinda’ procurador pressionado por petistas”. Diz que, “alvo de integrantes da CPI do Cachoeira com ligações com os mensaleiros”, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, foi "blindado" ontem pelo Supremo Tribunal Federal. Relata que ministros do STF “deixaram claro” que Gurgell não deve ir à CPI para explicar por que não abriu em 2009, durante a Operação Vegas, da Polícia Federal, um inquérito para investigar o envolvimento de políticos com o contraventor Carlinhos Cachoeira. Ressalta a tese de que, sob ameaça de ser convocado, Gurgel relacionou a pressão que sofre ao julgamento do mensalão e afirmou que sua estratégia foi aguardar mais indícios contra os políticos para instaurar o inquérito. Folha acompanha em “Ministros do Supremo defendem procurador”. Relata que Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa afirmaram que o procurador-geral não deve ir à CPI do Cachoeira. Reporta que Gurgel disse que recorrerá ao STF caso seja convocado a depor, enquanto o presidente do PT, Rui Falcão, afirmou que “ninguém está acima da lei”. Editorial da Folha, “Vale-tudo na CPI”; do Globo, “Tentativa mensaleira de manipular a CPI”; do Estado, “O golpe dos mensaleiros”. 
 
MP x venda da Delta – Globo destaca como manchete que “MP diz que a venda da Delta é ilegal e imoral, e abre inquérito”. Notícia é que o Ministério Público Federal no Rio abriu inquérito civil público para apurar irregularidades na venda da construtora Delta, investigada pela CPI do Cachoeira, à J&F Holding. O foco da investigação, diz jornal, é a participação do BNDES na maior empresa da holding, a JBS. "Caso se concretize esse negócio, por força de sua participação acionária no grupo JBS, o BNDES, em evidente afronta aos princípios de legalidade e moralidade, irá inexoravelmente participar de empresa sobre a qual recaem notícias da prática de graves ilicitudes e que se sujeita a ser declarada inidônea para contratar com o poder público", afirma o procurador Nívio de Freitas. Jornal registra que o BNDES disse que não foi consultado e que, mesmo que a venda se concretize, não será sócio da Delta. Folha, internamente, traz que “Governo deu aval a negócio com Delta, diz empresário”. Estado, internamente, informa que “Planalto procura se distanciar de negócio Delta/J&F”. Editorial do Estado, “Dilma, o BNDES e o caso Delta”. Perillo – Na mesma chamada, Globo relata que, ao depor na CPI, o delegado da PF Matheus Mella Rodrigues, coordenador da Operação Monte Carlo, complicou a situação do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). Segundo o delegado, a casa de Perillo foi vendida a Cachoeira por meio de um intermediário e teria sido paga com cheques. Folha abre chamada de capa para noticiar envolvimento de Perillo e Cachoeira, “Tucano fez negócios com Cachoeira, diz delegado à CPI”. BE chama na capa que “Perillo e Delta se complicam na CPI”. Tentáculos – Panorama Político, no Globo, afirma que “tentáculos de Cachoeira” mantinham “canais abertos nos governos Siqueira Campos (TO), Sinval Barbosa (MT) e Raimundo Colombo (SC). Numa gravação, o suplente de senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) aparece numa operação de lavagem de dinheiro num banco suíço”.

MP-DF/Operação Saint-Michel – Correio diz na manchete que “Caso Cachoeira faz MP denunciar 8 em Brasília”. Informa que o Ministério Público do Distrito Federal pede nova prisão preventiva do bicheiro e do contador da quadrilha por tráfico de influência e tentativa de fraudar licitação de bilhetagem eletrônica do DFTrans. Negócio é avaliado em R$ 60 milhões. Na ação penal, que tramita na 5ª Vara Criminal de Brasília, os promotores de Justiça do Núcleo de Combate às Organizações Criminosas (NCOC) se basearam em escutas da Operação Monte Carlo e em documentos apreendidos no desdobramento da investigação federal contra Cachoeira, a Operação Saint-Michel, realizada há 15 dias no DF, em Goiânia, em Anápolis e em São Paulo. A denúncia inclui o contador da organização liderada por Cachoeira, Giovani Pereira da Silva, que está foragido da Justiça desde 29 de fevereiro; o braço direito do contraventor, Gleyb Ferreira da Cunha; o vereador de Anápolis (GO) Wesley Clayton da Silva (PMDB); e dois supostos lobistas Dagmar Alves Duarte e Valdir dos Reis. Folha, internamente, destaca que “PSDB evita decidir destino de deputado [Carlos Alberto Leréia, GO] ligado a Cachoeira”. Matéria diz que tucanos vão esperar depoimento dele na CPI.

Comissão da Verdade/nomes – Jornais destacam nas capas anúncio pela presidenta Dilma dos nomes que compõem a Comissão da Verdade, criada para investigar a violação aos direitos humanos entre 1946 e 1988. Folha, em “Dilma indica grupo que vai investigar crimes na ditadura”, ressalta que a lista Rosa Maria Cardoso da Cunha, advogada que defendeu Dilma quando foi presa pelo regime militar. Folha relata que farão parte da comissão José Carlos Dias (advogado e ministro da Justiça no governo FHC), Gilson Dipp (ministro do STJ e do TSE), Cláudio Fonteles (procurador-geral da República no governo Lula), Maria Rita Kehl (psicanalista próxima ao PT paulistano), José Paulo Cavalcanti Filho (advogado pernambucano) e Paulo Sérgio Pinheiro (presidente de uma comissão da ONU sobre a Síria e secretário de Direitos Humanos sob FHC). Folha reporta também que a cerimônia de posse dos integrantes será no próximo dia 16, com a presença dos ex-presidentes Sarney, FHC e Lula. Globo acompanha em “Surge, enfim, a Comissão da Verdade”. Destaca na chamada a presença de Rosa Maria Cardoso da Cunha. E Estadão, “Dilma escolhe membros da Comissão da Verdade”; e Correio, “Quem vai investigar os crimes da ditadura”.
 
Caso Celso Daniel/três condenados – Folha destaca na capa que “Júri condena três pela morte de Celso Daniel”. Informa que, após 12 horas de sessão, o Tribunal do Júri em Itapecerica da Serra (SP) condenou três acusados pela morte, em 2002, do prefeito de Santo André, Celso Daniel. Relata que os jurados aceitaram a tese da acusação de que o trio integrou grupo contratado pelo ex-segurança de Daniel, Sérgio Gomes da Silva, o Sombra, para matá-lo. As penas vão de 18 a 24 anos. Anota que “o prefeito do PT foi escolhido para coordenar a campanha de Lula à Presidência”. Reporta ainda que o Sombra espera julgamento em liberdade.

Crédito/queda – Valor, na manchete “Crédito cai com arrocho de bancos e menor demanda”, informa que a oferta de crédito está crescendo em ritmo bem menor que nos últimos anos, e esse freio retarda a expansão da economia. Explica que fenômeno é explicado, de um lado, pela renda disponível de uma parcela substancial da população, que entrou com força no mundo dos empréstimos, diminuiu e, com ela, a demanda por financiamentos, e, de outro, pelo fato de os bancos observarem a elevação do comprometimento da renda e da inadimplência, tomando-se mais seletivos nas operações de crédito. Relata que há um sensível aperto na concessão de financiamentos para veículos, que com seus R$ 177,4 bilhões de estoque de crédito em março era um dos segmentos que mais cresciam, ao lado do crédito pessoal, com R$ 253,3 bilhões. Traz foto de capa do presidente do BC, Alexandre Tombini, em cuja legenda anota previsão dele de que inadimplência vai se estabilizar com o crescimento da economia no segundo semestre. Folha, internamente, informa que “Caixa acelera crédito e precisa de aporte urgente do governo”. Diz que que mercado estima injeção de R$ 10 bilhões do Tesouro Nacional. Também internamente, Folha reporta que “Mantega diz que pode tomar mais medidas para estimular produção”. Estado traz registro interno semelhante. Em outra chamada, Folha informa que “Governo promete agir para evitar que dólar ultrapasse os R$ 2”. Assunto conexo, Folha chama na capa que “Comércio exterior chinês sofre forte desaceleração”. Brasil Econômico chama na capa que “Governo pretende atualizar a indústria”, desafio lançado pelo ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, em seminário apoiado pelo jornal.

Izabella/Rio+20/“ousadia” – Globo traz na capa foto-legenda “As desprotegidas áreas verdes da Rio+20”, em que relata que mendigos dormem de dia no Campo de Santana, “um dos vários parques que, em vez de oferecer áreas verdes, viraram abrigo a céu aberto da população de rua e de usuários de crack, na cidade que vai abrigar a Rio+20”. Internamente, em “Rio+20 deve aprovar obrigação aos países”, reporta que a ministra Izabella Teixeira defendeu ontem que seria "excepcional" se a Rio+20 terminasse com a aprovação de "obrigações" para todos os países, especialmente nas áreas de produção e consumo sustentáveis, ao participar no Rio do "Sustentável 2012: uma agenda para a Rio+20", Jornal relata que a ministra classificou como “maior ousadia do Brasil”, como país anfitrião da conferência, garantir que todos os participantes do encontro se sintam incluídos no debate.

Educação superior/investimentos – Valor, em “Ensino superior”, diz na capa que reitores das 59 universidades federais do país entregaram nesta semana ao ministro da Educação, Aloizio Mercadante, propostas para um novo plano de expansão para o setor. O projeto prevê novos gastos da União de R$ 2 bilhões por ano até 2017 e seria, segundo o jornal, uma espécie de reedição do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni 2007-2012), que ajudou a ampliar a infraestrutura universitária, mais que dobrar o número de matrículas e contratar novos professores e funcionários.

Tráfico/STF x Lei de Drogas – Folha dá na manchete que “Traficante poderá responder ação em liberdade, diz STF”. Jornal destaca que, ao julgar um pedido de habeas corpus para um homem detido em 2009 em São Paulo com quatro quilos de cocaína e uma pedra de crack, o STF decidiu, por 7 votos a 3, que traficantes presos em flagrante podem aguardar o julgamento em liberdade. A maioria dos ministros considerou inconstitucional artigo da Lei de Drogas que proíbe conceder liberdade provisória a esses presos. Internamente, Folha traz avaliação que “Decisão é ruim para a sociedade, diz delegado” de narcóticos em SP. Estado também registra notícia na capa.

Copa/ “xerife” – Globo, em “Um professor é o novo xerife da Copa”, chama na capa que o professor de Relações Internacionais, o comunista Luís Fernandes, secretário-executivo do Ministério do Esporte, comandará as negociações com a Fifa para a Copa de 2014 no Brasil. Editorial da Folha, “Copa sob controle central”. Estado, internamente, informa que “Dilma quer baixar preço de hotéis no Rio”. BE chama na capa que “Copa criará mais de 380 mil empregos temporários no país”.

Energia/indústria – Globo chama na capa que “Indústria terá tarifa menor de energia”. Informa que a presidenta Dilma “mandou” a equipe econômica reduzir o custo da energia elétrica no país. Jornal afirma que tributos e encargos serão cortados para tornar mais baratas as contas de luz da indústria, “que estão entre as mais caras do mundo”.

Fraude-SP/créditos tributários – Valor informa na capa que “Receita descobre fraudes com créditos tributários”. Notícia é que a Receita Federal em São Paulo descobriu um golpe que envolve a criação de falsos créditos tributários para abater impostos. O Fisco calcula que, desde o início do ano, cerca de R$ 110 milhões em créditos tributários falsos foram lançados. Como houve mais casos no Estado, a Receita em São Paulo aumentou a fiscalização. Os golpistas usam um documento eletrônico por meio do qual as empresas declaram o pagamento de tributos com a compensação de créditos. Eles informam créditos com base em processos administrativos que muitas vezes não existem ou declaram valores e tributos alterados.
Postar um comentário