segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Síntese da MIDIA IMPRESSA


Serra/ataques – Folha destaca na capa que “Serra rebate Lula e diz que PT mente o tempo inteiro”. Jornal reporta que candidato do PSDB à prefeitura, José Serra, rebateu ontem as declarações do ex-presidente Lula, que na noite de sábado comparou o tucano aos ex-presidentes Fernando Collor e Jânio Quadros, que não cumpriram seus mandatos até o fim. “É a estratégia petista típica. Eles jogam baixo, muito baixo”, disse o tucano após uma reunião com universitários na zona oeste de SP. Lembra que anteontem, em comício do candidato do PT em São Paulo, Fernando Haddad, Lula havia dito que Serra "precisa criar vergonha e cumprir mandato até o fim". [Folha destaca na capa que, “Longe do'novo' Lula defende o 'velho' no ABC. Matéria pretende mostrar contradição entre o novo – Haddad – e o candidato local, de continuidade]. Estado, na capa, destaca que “Serra diz que petistas 'vão para a cadeia'”. Segundo o Estado, o tucano reagiu aos discursos do ex-presidente e de Dilma no comício de Haddad e mostrou que não pretende abdicar do “discurso ético” na última semana da campanha. Estado afirma que coordenadores do comitê serrista dizem que é preciso manter a mesma linha de propaganda e não deixar o mensalão sair da pauta. Globo e Valor, internamente, registram esses ataques. Aref/mensalão mineiro – Jornal diz ainda que a campanha do PT pode levar ao ar na TV escândalos como o mensalão mineiro e a investigação por suspeita de enriquecimento ilícito de Hussain Aref Saab, ex-diretor de Aprovações de construções imobiliárias nomeado por Serra na Secretaria municipal de Habitação. Lembra que, antes da votação em 2.º turno, no domingo, Serra e Haddad terão novos confrontos diretos nos debates do SBT e da TV Globo. BE, na capa, em “A esperança de Serra”, reporta que tucanos dizem que as pesquisas de opinião estão erradas e apostam tudo nos últimos dias de campanha. Folha, internamente, noticia que “Ministra [Gleisi Hoffmann] diz que Congresso tem que discutir pesquisas”. Folha, internamente, destaca que “Números de Haddad e Serra na educação básica são parecidos”. Mônica Bergamo, em nota “Serra presidente”, informa que PSDB quer fazer do candidato tucano presidente do partido caso seja derrotado em SP. Valor, internamente, noticia que “Lula adverte que é cedo para discutir cargos” em eventual governo Haddad.

Mensalão/ “Quadrilha” – Globo chama na capa que “STF julga cúpula do PT por quadrilha”. Lembra que o STF retoma hoje o julgamento do ex-ministro José Dirceu, do ex-presidente do PT José Genoino, do ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares e de outros 10 réus por formação de quadrilha, crime que mais tem provocado divergências entre os ministros. Folha, internamente. SMP&B/ “depoimento” – Correio e Estado de Minas trazem depoimento do publicitário da SMP&B, condenado no processo do mensalão, Cristiano Paz: “Eu não soube enxergar os riscos”. “Nunca troquei uma palavra com José Dirceu ou qualquer integrante da cúpula do Governo Federal. Estive com o ministro apenas duas vezes, na última fila de cadeiras, em reuniões que tinham a presença de quinze a vinte pessoas, em seu gabinete. Tenho certeza de que José Dirceu não seria capaz de se lembrar do meu rosto. Não dirigiu a mim, sequer um olhar”. Contribuição previdenciária/discussão – BE chama na capa que “Contribuição dos inativos volta a ser questionada”. Reporta que lideranças sindicais ligadas ao funcionalismo público têm discutido a legitimidade da Emenda Constitucional 41/03, que instituiu pagamento da contribuição previdenciária para servidores aposentados, argumentando que a aprovação da norma se baseou na compra de votos, o que estaria patente no julgamento do mensalão.
Postar um comentário