terça-feira, 16 de outubro de 2012

Síntese da MIDIA IMPRESSA


Mensalão/Duda absolvido – Folha e Estado manchetam absolvição pelo STF do publicitário Duda Mendonça e de sua sócia Zilmar Fernandes dos crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro no caso do mensalão. Folha, em “Marqueteiro de Lula é absolvido pelo Supremo”, diz que a maioria dos ministros do Supremo seguiu o entendimento do revisor Ricardo Lewandowski, segundo o qual o pagamento ao marqueteiro foi legítimo e não ficou provado que ele sabia da origem ilícita do dinheiro. Barbosa/derrota – Estado, em “STF absolve Duda Mendonça e sua sócia no caso mensalão”, registra que o relator do processo, Joaquim Barbosa, votou pela condenação, mas foi derrotado pela tese do revisor, Ricardo Lewandowski, que votou pela absolvição e foi seguido por mais cinco ministros. Globo destaca na capa que “Duda Mendonça é absolvido e relator sofre maior derrota”. Correio, na capa, “Marqueteiros de Lula são absolvidos”. Maia/PT cresceu – Em entrevista ao Brasil Econômico, o presidente da Câmara, Marco Maia, diz, sobre a condenação do ex-ministro José Dirceu no processo, que “não há nenhuma prova nos autos e nenhuma afirmação contundente dos depoentes que envolva o ex-ministro na distribuição dos recursos que foram aferidos pelo tesoureiro do PT, Delúbio Soares”. Lamenta a condenação de ex-presidente do PT, José Genoíno e destaca que o PT cresceu principalmente nas cidades médias e pequenas, onde o eleitor está preocupado com questões municipais. Avalia que o saldo final foi positivo para o partido. Folha noticia internamente que “PT prepara manifesto sobre o mensalão”.
Economia/reação – Valor destaca na capa que “Reação da economia revigora balanços”. Informa que a expectativa para os resultados de julho a setembro é mais otimista. A perspectiva é que os setores voltados ao mercado interno sejam os primeiros a captar a retomada. "As varejistas de alimentos devem continuar a se destacar, acompanhando o baixo nível de desemprego e a renda em patamares elevados", diz Sandra Peres, analista da Coinvalores. Segundo o jornal, o setor de educação, que contrariando a tendência apresentou bons números no segundo trimestre, deve seguir forte. Além da retomada da economia interna, os incentivos do governo e a estabilidade do câmbio estão por trás do otimismo, ainda que a maior parte da recuperação deva aparecer mais no fim do ano. Tombini x Bernanke – BE dá como manchete que “Tombini rebate Bernanke e ataca política de incentivos americana”. Informa que o presidente do BC brasileiro discorda da opinião do presidente do Fed, sobre as medidas das economias avançadas não contaminarem os países emergentes e apoia diagnóstico do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que o excesso de liquidez nos EUA valoriza o real e prejudica o combate à inflação. Folha destaca internamente que “Agora é a hora de investir no Brasil, diz Sulzberger, [publisher] do NYT”. Editorial do Estado, “Qual reforma tributária”.
Serra/planos de Kassab – Estado destaca no alto que “Plano de Serra defende uso de programas da gestão Kassab”. Informa que o candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra, lançou ontem um plano de governo que defende o legado que será deixado pela gestão de Gilberto Kassab (PSD), propõe a continuidade de projetos em andamento e apresenta programas de atenção voltados para crianças e idosos. Jornal afirma que o material foi elaborado com o auxílio de funcionários de alto escalão da Prefeitura, com o objetivo de adequar as propostas ao orçamento municipal. Folha, em foto-legenda “Favela chic”, diz que empresa dona de centro comercial compra e destrói casas irregulares ao lado do shopping Cidade Jardim, trabalho que caberia à Prefeitura. Tucano/ “kit”/contradição – Folha, na capa, destaca que, “Hoje crítico do 'kit gay', Serra enviou a escolas cartilha similar”. Informa que o tucano distribuiu a escolas estaduais em 2009, quando era governador, uma cartilha anti-homofobia com conteúdo semelhante ao chamado "kit gay" —que Serra hoje critica— feito pelo MEC, na gestão de Fernando Haddad. Registra resposta de Serra, que sua cartilha é "diferente" e "dirigida a professores". Matéria da Folha compara as duas cartilhas. Painel da Folha diz que exploração eleitoral do assunto pela campanha de Serra delegará ataques a apoiadores evangélicos. Toda Mídia, na Folha, destaca que Serra lidera com folga em propaganda negativa (666 x 337 de Haddad, no 1º turno). Vladimir Safatle escreve na Folha “Novos reféns”, sobre homossexuais na política. Dilma/Haddad/comício remarcado – Também na capa, Folha destaca que “Final de ‘Avenida Brasil’ faz Haddad adiar comício com Dilma em SP”. Reporta que a presidenta Dilma teria sido convencida pela coordenação da campanha de Fernando Haddad a mudar a data do comício que fará com o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo. Diz que, de acordo com um integrante do comitê petista, o evento, previsto para a próxima sexta-feira, ocorreria no mesmo dia e horário do capítulo final da novela "Avenida Brasil", da TV Globo e que "não haveria ninguém" para ouvi-la. Informa que o comício foi remarcado para o sábado, no mesmo local.
Viracopos/45 horas fechado – Folha e Estado trazem destaques de capa com mesma formulação sobre fechamento de aeroporto em SP. Folha, em “Viracopos leva 45 horas para tirar avião com pneu estourado”, diz que o aeroporto em Campinas (SP) reabriu na tarde de ontem após ficar mais de 45 horas fechado desde sábado, quando cargueiro teve um pneu estourado ao pousar e ficou na única pista do aeroporto. Informa que cerca de 500 voos foram cancelados, afetando 25 mil passageiros. Relata também que, além disso, pane no sistema de check-in da TAM causou atrasos em 35% dos 613 voos domésticos da empresa no país. Estado, “Viracopos reabre depois de 46 horas”. Caos aéreo – Globo, em referência aos dois incidentes, retoma bordão e registra na capa que “Falhas prolongam o caos aéreo”. Correio acompanha-o, “Caos aéreo tumultua fim do feriadão”. Diz que, em Brasília, das 147 partidas, 27% ocorreram fora do horário e 7% foram cancelados. Folha traz na capa foto do avião tendo asa erguida. Globo informa internamente que “Anac abre processo para investigar demora”. Em outra retranca, informa que Procon-SP autua Trip e notifica Azul, TAM e Gol após atrasos.
Cotas/autodeclaração – Folha chama na capa que “Palavra do aluno definirá cor para preencher cotas nas federais”. Informa que a palavra do aluno sobre sua cor será o único critério das universidades federais para definir quem será beneficiado pela lei de cotas. A autodeclaração valerá já nos próximos vestibulares. Diz que o Ministério da Educação refutou a possibilidade de as instituições criarem comissões para confirmar a declaração dada pelo candidato, como hoje é feito na Universidade de Brasília. Cotistas/dupla chance – Correio dá como manchete que “Cotistas terão dupla chance no vestibular”. Afirma que estudantes de escolas públicas que não ingressarem em universidade federal pelas cotas sociais vão concorrer ainda às vagas do sistema universal, competindo com quem estudou em colégios particulares. Nivelamento – Globo, sobre o assunto, diz que “MEC quer cursos de nivelamento”. Reporta que o ministério prepara cursos de nivelamento para melhorar a formação de estudantes que ingressarem nas universidades federais pela Lei de Cotas, cujo decreto foi publicado ontem no Diário Oficial. Diz que os cursos não deverão estar prontos até o próximo vestibular, quando as cotas entram em vigor. Folha noticia internamente que “Debate sobre adoção de cotas raciais na USP emperra na Justiça”. Coordenador do Núcleo de Estudos Afrobrasileiros na UnB, Nelson Inocencio, diz que “Cotas mostram ‘compromissoFolha, internamente, destaca entrevista com Demétrio Magnoli, sociólogo e professor da USP, e destaca no título pensamento dele que “Governo instala 'Estado racial'”. Editorial da Folha, “Cota de populismo”. Nizan Guanaes escreve na Folha, “A nova classe alta”, em que compara educação pública e privada.
Postar um comentário