quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Síntese da MIDIA IMPRESSA


Jornais convergem para o recrudescimento da greve dos servidores públicos federais e a reação do Governo: Pressão de servidores faz governo negociar reajuste, (Estadão); Dilma endurece com grevistas, (Valor); Onda de greves se alastra e desafia governo Dilma, (Folha); Servidores e Governo medem força. O país paga, (Correio). O Globo diverge com a manchete: Defesa do Banco Rural culpa executivo morto. Brasil Econômico: Mais crédito e menos juros, pede Mantega aos bancos, mais uma vez. Na área internacional a decisão do Governo Paraguaio de não mais vender energia ao Brasil e à Argentina; a ofensiva do Egito no Sinai e o conflito na Síria.

GREVES/DILMA ENDURECE. O governo vai endurecer com os servidores grevistas, destaca Valor. Acrescenta que a Presidente Dilma Rousseff autorizou a assinatura dos primeiros convênios com São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, para substituir os grevistas por funcionários estaduais e municipais que desempenham funções assemelhadas. Os fiscais agropecuários reagiram e suspenderem integralmente as atividades. Categorias de servidores estaduais já informaram que ficarão ao lado de seus colegas federais. O secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, adianta que até o final de agosto serão apresentadas propostas ao funcionalismo. Estadão e Folha relatam que o ministro Carvalho foi vaiado e chamado de traidor, por manifestantes da CUT, durante congresso em Brasília. Estadão e Correio informam que, diante das pressões, o governo determinou à ministra do Planejamento, Miriam Belchior, finalizar os estudos de uma proposta de reajuste. Jornais também se reportam às manifestações dos grevistas na esplanada, em outras localidades brasileiras e nas rodovias. Para a Folha a Onda de greves se alastra e desafia governo Dilma. A atual greve é considerado como o maior movimento desde o início da gestão Lula, em 2003. Jornais noticiam que estão parados 350 mil funcionários de 27 órgãos, segundo os sindicatos. As paralisações já prejudicam o cotidiano da população. Noticiam, ainda, que grevistas tentaram subir a rampa do Palácio do Planalto, mas foram contidos por policiais. Folha reporta que, ao contrário da Administração Lula, o Governo Dilma interrompe política federal de benesses ao funcionalismo. Com foto na primeira página das manifestações e de confrontos entre policiais e servidores em frente ao Palácio do Planalto, Correio destaca que protesto dos servidores das acaba em confusão. Prossegue: “enquanto governo e sindicalistas não se entendem, é a população quem mais sofre as consequências”. Correio noticia a demissão de Cesar Brod, do Ministério do Planejamento, contrário ao corte de ponto dos grevistas. Valor informa que no PE, trabalhadores da refinaria Abreu e Lima/Petrobras incendiaram sete ônibus, em protestos por melhores salários.

MENSALÃO/DEFESA ATACA. O ex-ministro da Justiça Thomaz Bastos, advogado do ex-diretor do Banco Rural José /Roberto Salgado, disse que a denúncia é uma construção mental” (Estadão/Folha) e que mensalão é 'fantasia' e que a acusação é "desprovida de senso de realidade", na mais veemente crítica à peça acusatória do procurador Roberto Gurgel, segundo avaliação do Valor. “É um julgamento com bala de prata, de uma vez só", emendou Thomaz, referindo-se ao fato de haver apenas um recurso, Embargos Infringentes, uma vez que o Julgamento ocorre no órgão de cúpula da Justiça/STF (Valor/Estadão). A defesa de João Paulo Cunha (PT-SP), ex-presidente da Câmara, também alegou ausência de provas, dizendo que ele era figura lateral(Globo, Valor). Candidato à prefeitura de Osasco, a situação de réu de João Paulo preocupa o PT, comenta o Estadão. Jornais ressaltam, com destaque para o Globo, que as defesas dos chamados réus do esquema financeiro transferiram a culpa de eventual ilícito ao então diretor do Banco Rural, José Augusto Dumont, falecido em 2003. Nesse sentido Thomaz Bastos e o advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, defensor de Ayanna Tenório, ex-diretora
do Rural. Maurício Campos, advogado de Vinícius Samarane, atual vice-presidente do Rural, disse que a instituição seguiu determinações do Banco Central na concessão de empréstimos às empresas de Marcos Valério. Folha e Estadão adiantam que integrantes do PT vão apresentar representação contra o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, no Conselho Nacional do Ministério Público Federal, em razão da cartilha produzida pelo Ministério Público para explicar o escândalo do mensalão às crianças. Ministros ouvidos pela Folha validam as provas colhidas na CPI dos Correios e manifestam dúvidas quanto à acusação de que José Dirceu chefiava o esquema do mensalão. Globo e Estadão revelam que, mesmo admitida a tese de caixa 2 (já rejeitada pelo Supremo), os réus podem ser condenados por formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro (pena máxima de 12 anos). Correio e Globo sintetizam que, até agora, a tese central das defesas é de que há excesso de acusação na APN 470 e que as provas são insuficientes para condenar os réus. Para o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o governo não será atingido em hipótese nenhuma pelo julgamento do mensalão. É uma questão que afeta ao Poder Judiciário, disse ao Globo.

ELEIÇÕES/CANDIDATOS. Vídeoclipe intitulado "E agora, José?", postado no site do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, liga José Serra (PSDB) a Adolf Hitler. Noutras imagens, Serra é retratado como vampiro, profeta do apocalipse e sósia do sr. Burns/"Os Simpsons". Assessoria do petista disse que o responsável por publicar o vídeo será demitido, informa Folha, acrescentando que Serra critica a proposta de Haddad de criar um bilhete único no valor de R$ 150 sem limites de viagens e horário para os usuários de transportes de massa. A Justiça Eleitoral divulgou o tempo dos candidatos no rádio e na TV: José Serra (7min44s), sete segundos mais que Fernando Haddad (que já tem gravações com a participação de Lula), seguidos de Gabriel Chalita (PMDB) e Celso Russomanno (PRB).

BANCOS/GOVERNO. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, exortaram os bancos a concederem mais créditos a juros mais baixos, durante “encontro ameno” com os banqueiros, em Brasília, destaca Brasil Econômico. "Foi uma cobrança, mas em clima cordial", informou o jornal. As autoridades econômicas e banqueiros concluíram que o crescimento da “economia vai ser retomado e que teremos um segundo semestre melhor”. Participaram representantes Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, Santander, Safra, Citibank, HSBC e BTG. Folha noticia que o Governo considera insuficiente o esforço dos bancos para reduzirem os juros.

COTAS/VETOS. O projeto que destina 50% das vagas nas universidades para alunos da rede pública começará a valer em 2013 e terá um veto: o governo vai privilegiar o Enem e o vestibular, revela o Correio. A pedido do Ministério da Educação (MEC) e da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, a Presidenta Dilma Rousseff vetará o artigo 2º da proposta, que estabelece a seleção dos alunos tendo como base o Coeficiente de Rendimento (CR), obtido por meio de média aritmética das notas ou menções do período. Globo traz matéria na qual a Associação que representa reitores das federais critica o sistema de cotas porque fere a autonomia universitária. Na Folha a informação na primeira página de que as escolas privadas reagem ao sistema de cotas.

INFLAÇÃO/TOMATE. A inflação de 0,43%, acima da previsão oficial, mereceu maior atenção de O Globo, com chamada de primeira página. As chuvas fizeram do tomate o grande vilão da inflação oficial em julho: o produto subiu 50% e puxou o IPCA. A previsão é que feche em 5,3% no ano.

PARAGUAI/ITAIPU/MILITARES. Brasil Econômico, Folha, Correio destacam a decisão do Presidente do Paraguai, Frederico Franco, de suspender as vendas dos excedentes de energia elétrica da usina de Itaipu ao Brasil e da usina de Yacyretá à Argentina. O Paraguai é sócio nas duas usinas e, agora, pretende empregar todo potencial energético na industrialização do país. Ao Correio, o diretor-geral brasileiro da Usina Hidrelétrica de Itaipu, Jorge Miguel Samek, disse não estar preocupado com a posição paraguaia, ressaltando que há regras que definem claramente as formas de compra de energia. Valor observa que outro foco de tensão com os vizinhos paraguaios é a mega operação militar realizada pelo Brasil para combater a criminalidade na fronteira com Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai.

CÂMARA/PMDB. O PMDB quer a candidatura única do líder da bancada, Henrique Eduardo Alves (RN), à presidência da Câmara dos Deputados, como forma de demonstrar força no Legislativo perante o Palácio do Planalto e o principal aliado, o PT, informa o Valor, citando o vice-presidente da República, Michel Temer. A disputa ocorrerá em fevereiro de 2013, quatro meses após as eleições municipais de outubro em que todas as previsões apontam para um avanço petista e consequente perda de espaço pemedebista.

OLIMPÍADAS/MARIN. A vitória de Juliana e Larissa (bronze) no vôlei de praia e a derrota no basquete para a Argentina estão nas capas do Estadão, Folha, Correio, Globo. O pugilista brasileiro Yamaguchi Falcão Florentino derrotou o cubano Julio la Cruz Peraza e conseguiu vaga nas semifinais da categoria meio-pesado (até 81kg). A pugilista Adriana Araújo conseguiu medalha de bronze vencendo a russa Sofya Ochigava. Folha assinala que, distante de Dilma, o presidente da CBF, José Maria Marin, se aproxima do vice-presidente, Michel Temer, que aceitou o convite do cartola para assistir ao amistoso entre Brasil e Suécia, na próxima quarta- -feira, em Estocolmo.

Postar um comentário