quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Síntese da MIDIA IMPRESSA


 
As principais manchetes dos jornais tratam de assuntos distintos, dando menor ênfase ao noticiário sobre o julgamento da APN 470/mensalão: Quem aposta no desgaste se decepcionará, diz Planalto, (Estadão); Senado aprova projeto que dobrará cotas nas federais, (Folha); Preço da gasolina vai aumentar ainda este ano, (Globo); Greve cresce e ameaça imobilizar a Esplanada, (Correio); IPOs pós-crise dão maior retorno aos investidores, (Valor); Dilma dá ordem para destravar o Ministério dos Transportes


PLANALTO/DESGASTE. A manchete destacada no alto da primeira página do Estadão se apoia nas declarações do ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho: Quem aposta no desgaste se decepcionará, diz Planalto. Relata que Carvalho foi escalado para mandar um recado aos que apostam que os respingos do mensalão podem atingir o Governo Dilma: "Aqueles que apostam nesse processo (mensalão) para um desgaste desse projeto político se decepcionarão (...)”. Carvalho comparou o julgamento da APN 470/STF com o momento vivido pelo Governo Lula, em 2005, quando surgiram as primeiras notícias sobre o mensalão: "Quando baixou a espuma do debate político, ficou a realidade dos fatos de que era um país que estava mudando, crescendo, distribuindo a renda e fazendo um processo que foi apoiado pela grande maioria da população em 2006 e depois em 2010". No mesmo sentido, mas com menor destaque a Folha que trata do assunto com chamada de uma coluna na primeira página “Julgamento do mensalão não afeta planos do PT”, diz ministro. Globo, internamente, com o título Carvalho diz não crer em desgaste eleitoral, destacando em outra chamada que Dilma aposta numa agenda positiva. Folha revela que pesquisas de opinião pública encomendadas pelo PT/SP e pelo Planalto indicam que a APN 470 não afeta a imagem da Presidenta Dilma, havendo desinteresse da população quanto ao mensalão. Noutra retranca a informação de que antes do julgamento do mensalão a Presidenta Dilma reforçou a versão de réus petistas. Estadão noticia que “Dilma e Lula estão incomodados com as versões de que a condenação do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, no julgamento do mensalão, seria boa para o governo”.

COMBUSTÍVEIS/REAJUSTE. A principal manchete de O Globo vem no meio da página, anunciando aumento nos preços dos combustíveis, ainda este ano, a fim de compensar o prejuízo de R$ 1,3 bilhão da Petrobras, registrado no segundo trimestre deste ano. O reajuste evitaria mais perdas, diz o jornal e modifica a estratégia do Governo de continuar usando a estatal como arma para segurar a inflação. O objetivo é reduzir a defasagem de 20% dos preços internos para os preços internacionais. Matéria diz que ainda não está definida a forma e o percentual de aumento nos preços da gasolina e do diesel. Prossegue o jornal: a alternativa seria o governo oferecer algum tipo de subsídio à Petrobras, mas na visão da área econômica, isso não seria "salutar" para uma empresa do porte da estatal.

MENSALÃO/STF No terceiro dia de julgamento da APN 470/mensalão, as defesas de quatro dos acusados (Cristiano Paz, Rogério Tolentino, , de Simone Vasconcelos e Geiza Dias) tentam se desvincular de Marcos Valério, a quem atribuem eventual ato ilícito, convergem Folha, Correio, Valor, Estadão. O Correio sintetiza no título: Defesa diz que réus só cumpriam ordens. José Carlos Dias alegou que todas as operações do Banco Rural foram comunicadas ao Coaf que não identificou irregularidade alguma na atuação de Kátia Rabello, enquanto presidenta da instituição. Transferiu para o já falecido José Augusto Dumont, ex-vice-presidente do banco, a responsabilidade pelas operações com Marcos Valério. Jornais reportam que a saída da ministra Cármen Lúcia do STF para presidir a sessão do TSE provocou críticas da defesa que aproveitou para alegar ofensa à ampla defesa, questão de ordem resolvida de pronto pelo plenário do STF. Ao Estadão o ministro Celso de Mello afirmou que não vai aceitar provas produzidas fora da instrução, citando como exemplo os depoimentos dados à CPIs e à Polícia Federal. E ao Correio o ministro Marco Aurélio descarta a prisão imediata dos réus. Estadão diz que ministros do STF resistem à versão do caixa dois. Globo relata que o senador cassado Demóstenes Torres foi crooner em restaurante de Brasília, onde se encontrou com advogados do mensalão. O advogado de Genoino pediu "O Poderoso Chefão" ao piano. Brasil Econômico diz que pacto de silêncio sobre o mensalão une Planalto, Lula e PT.

ELEIÇÕES/CANDIDATOS. O candidato do PT, Fernando Haddad, (PT) prometeu criar "bilhete único mensal", que permitirá utilizar de forma ilimitada os ônibus da capital por um mês com uma tarifa de R$ 150,00, noticiam Valor, Globo, Folha. E Serra também fala em melhorar o transporte, ao visitar a construção do monotrilho da Vila Prudente, na zona sudeste da cidade, obra iniciada na gestão anterior dele. Folha traz opinião de especialistas criticando as propostas dos dois candidatos. Jornal também noticia que os candidatos à reeleição ou apoiados pelos governos estadual são os campeões de gastos de campanha (Belo Horizonte, Recife e Curitiba). Ao Brasil Econômico Celso Russomanno (PRB) adverte que “não sou um cavalo paraguaio”, anunciando que vai surpreender e não desistirá de disputar a Prefeitura de São Paulo

GREVE/ESPLANADA. A greve nos serviços públicos é a principal manchete do Correio: Greve cresce e ameaça imobilizar a Esplanada. Relata o jornal que o movimento é reforçado por servidores de 26 carreiras típicas de Estado que devem se juntar a outras categorias de 30 órgãos federais já paralisadas e ao Judiciário. Devem cruzar os braços e interromper as atividades em setores estratégicos. Globo e Folha reportam que a greve de agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal tem provocado filas na fronteira do Brasil com o Paraguai; prejudicado a emissão de passaportes, atrasado decolagem de aviões e estancam pelo menos 100 investigações de grande porte no Panará. A cadeia de aves e suínos é afetada pela greve de fiscais agropecuários, com futuros reflexos no abastecimento, informa Valor. A paralisação na Anvisa ameaça análise de sangue, acrescenta Folha. MEC cobra de reitores cronograma para reposição de aulas nas universidades, muitas delas ainda em greve.

UNIVERSIDADES/ESCOLAS PÚBLICAS. A decisão do Senado de reservar, por um período de 1º anos, 50% das vagas nas Universidades federais para alunos egressos da escola pública é o destaque da Folha.
O texto segue agora para a sanção da Presidente Dilma. O total de vagas destinadas às cotas nas federais vai mais do que dobrar, passando de 52.190 para 122.131, segundo o projeto que prevê que as cotas devem ser prioritariamente ocupadas por negros, pardos ou índios. A divisão deve considerar o tamanho de cada uma dessas populações no Estado, conforme o censo mais recente do IBGE. Revela o jornal que a Presidenta Dilma deverá vetar o artigo que condiciona o ingresso por meio das contas à média das notas do aluno no ensino médio. Correio dá chamada de uma coluna na primeira página.

NOVAS AÇÕES/RETORNO. O grande destaque do Valor é para o bom retorno aos investidores que compraram ações novas, isto é, pós-quebra do Lehman Brothers/2009. Diz o jornal que se um investidor tivesse entrado em todos os IPOs realizados de janeiro de 2009 até o mês passado, teria acumulado retorno de 46%. Se aplicação semelhante fosse feita em um fundo indexado ao Ibovespa, teria perdido 13%. Motivos, segundo especialistas consultados: uma companhia que consegue abrir o capital em um momento menos favorável passa por um "filtro", os preços são favoráveis e estão voltadas para o mercado interno de saúde, educação, varejo/consumo e logística.

CPI CACHOEIRA/SILÊNCIO. A CPI do Cachoeira retomou os trabalhos sem muito sucesso. Joaquim Thomé Neto e Andressa Mendonça (mulher de Carlos Augusto Ramos Cachoeira) compareceram, mas ficaram em silêncio, noticiam Folha, Estadão, Globo, Correio. Andressa foi chamada de mentirosa pela senadora Kátia Abreu (PSD-TO) que contou que um homem não identificado ligou para seu gabinete no último dia 2 e fez ameaças a ela: "Ela [Abreu] tem que se retratar do que ela disse porque senão nós vamos atrás da cabeça dela", teria dito o homem. De sua parte Andressa teria dito ao juiz federal Alderico Rocha Santos que a senadora Kátia pedia dinheiro a Cachoeira para financiar campanhas políticas. "Pelo jeito a bela resolveu ser fera. Tem que tomar cuidado para não ser enjaulada", disse a senadora. Globo relata que José Olímpio de Queiroga Neto, do grupo Cachoeira, tinha os telefones celulares pessoais do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), do vice-governador, Tadeu Filippelli (PMDB), e do secretário de Desenvolvimento Econômico, Abdon Araújo.

MINISTÉRIO/TRANSPORTES. A Presidenta Dilma decidiu atacar com unhas e dentes a paralisia que afeta os projetos tocados pelo Ministério dos Transportes desde a faxina feita na pasta em 2011, após a descoberta de superfaturamento de obras”, afirma Brasil Econômico. Na página interna a informação de que de janeiro a julho deste ano as aplicações do Denit em obras somaram R$ 4,1 bilhões contra R$ 6,1 bilhões em igual período do ano passado.

OLIMPÍADAS/BRASIL. A participação do Brasil nas Olimpíadas de Londres está nas primeiras páginas nos jornais, matérias ilustradas com fotos. Destaques para a vitória da seleção masculina de futebol sobre a Coreia do Sul (3 a 0) (final será com o México) e para a seleção fermina de vôlei que derrotou a Rússia (3x2).
Postar um comentário