sexta-feira, 27 de julho de 2012

Direto dos EUA: A crise síria e a cautela americana

 
Correspondente da BBC Brasil em Washington comenta posição dos EUA quanto à crise na Síria
(Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.)
 
 
Ao mesmo tempo em que endurece o tom contra Bashar al-Assad, Washington lembra os riscos de uma guerra sectária decorrentes de um colapso do regime sírio.
 
 
Poucos analistas têm reparado no tom de cautela que acompanha as declarações duras do governo americano sobre a crise na Síria, aponta o correspondente da BBC Brasil em Washington, Pablo Uchoa.
 
 
Se por um lado o Ocidente endurece as sanções e o tom contra o regime repressor de Bashar al Assad, Washington também não esconde sua preocupação com os riscos de uma fragmentação do país e uma guerra sectária a exemplo do que ocorreu no Iraque, caso o regime colapse.
 
 
Analistas apontam que, do ponto de vista internacional, atores poderosos no Oriente Médio – como Irã, Hezbollah e Al Qaeda – também aprofundariam a “disputa pela Síria”, quase certamente contribuindo para a desestabilização da região.
Postar um comentário