terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Síntese da MIDIA IMPRESSA

Europa/S&P/15 na mira – Crise econômica na Europa volta a subir na agenda. Globo dá manchete ao assunto, “Crise europeia ameaça rebaixar até Alemanha”. Informa que poucas horas após o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel, terem anunciado que chegaram a um acordo para "salvar o euro", a agência de classificação de risco Standard & Poor"s ignorou a decisão e ameaçou rebaixar 15 países do bloco, inclusive os dois países. A S&P pôs em perspectiva negativa a classificação "AAA" das principais potências da região. A agência alegou que aumentou "o estresse sistêmico na zona do euro", devido à contração do crédito, ao elevado endividamento e ao risco de recessão em 2012. Merkel e Sarkozy defenderam um novo tratado para a União Europeia até março, com punições aos países que não cumprirem o equilíbrio das contas públicas. A mudança no tratado poderá incluir os 27 países do bloco ou só os 17 integrantes da área do euro, com os demais aderindo voluntariamente. Também nas manchetes, Estadão diz que “Agência ameaça rebaixar zona do euro”; e Correio refere-se ao problema como a “Pesadelo europeu”. Folha destaca assunto na capa em “Agência ameaça reduzir nota de 15 dos 17 países da zona do euro”. Brasil Econômico registra na capa que “S&P ameaça rebaixar nota de 15 países europeus”. Valor ignora S&P na capa e apenas anota no cabeçalho que Merkel e Sarkozy “tentam tirar velhas normas do papel”. Brasil Econômico dá manchete para “Crédito global seca e já prejudica exportadores brasileiros”. Atribui o fenômeno à crise e diz que custo de captação [ver abaixo entrevista com presidente da Petrobrás e, registro para material de Valor, sobre captação de Petrobras em euros e libras] já subiu um ponto percentual entre agosto e novembro em instituições de médio porte.

Gabrielli/ “dinheiro sobrando” – Brasil Econômico entrevista presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, cuja foto sorrindo é destaque de capa, encimando a fala dele que “Está sobrando dinheiro no mundo”. Jornal destaca na chamada a previsão de investimentos da estatal de US$ 224,7 bilhões até 2015. Na conversa, Gabrielli afirma que produção brasileira passará de 2,1 milhões de barris ao final deste ano para 3 milhões (2015) e 4,9 milhões (2020). Prevê manutenção do consumo apesar da crise dos países ricos em razão da demanda de emergentes, tanto em termos de energia quanto em produtos derivados do petróleo. Sobre sua afirmação que há dinheiro sobrando no mundo, na contramão da percepção do mercado, o executivo da 8ª maior empresa global em valor de mercado, diz que “há hoje uma escolha seletiva de projetos onde o dinheiro vai ser aplicado”. No argumento dele, a Petrobras está entre eles. Gabrielli dá informações sobre aumento de capital, venda de ativos e investimento sem formação de mão de obra. Não fala sobre o vazamento de responsabilidade da Chevron, mas prevê que ela, Shell e chineses aumentarão aportes no país. Prevê ainda a vinda de fabricantes de equipamentos como Rolls-Royce e GE. No lide que antecede a entrevista, BE diz que Gabrielli poderá ser candidato a governador da Bahia em 2014.

Pimentel/“outro contrato suspeito” – Globo noticia na capa que “Pimentel tem outro contrato suspeito”. Informa que a QA Consulting, uma "empresa de informática pequeninha", segundo o próprio ministro da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior, Fernando Pimentel (PT) – destaca a publicação –, contratou consultoria do então ex-prefeito de BH, pagando-lhe R$ 400 mil. Jornal afirma que dois dias antes de quitar a primeira parcela, a QA recebeu R$ 230 mil da HAP, empreiteira que fechou contratos de R$ 225 milhões com a prefeitura de BH na gestão do petista. Globo acrescenta que um dos donos da QA Consulting Ltda, firma especializada em "cabeamento estruturado para rede de computadores", é filho de sócio minoritário de Pimentel na P-21 Consultoria. Globo, internamente, registra posição do ministro, “Não tem absolutamente nada irregular, não tem nada antiético”, e anota que “PSDB pretende convocar ministro”.

Reforma ministerial/ “oito ministros” – Correio, em “Lupi não é o último”, destaca na capa que a presidenta Dilma pode demitir mais oito ministros na reforma de janeiro. Cita o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), que, no relato do jornal, afirma que “aliados já foram avisados de que não haverá grandes mudança na correlação de força dos partidos”. Segundo Costa, "as informações são de que será uma coisa pontual, não uma grande reforma. As forças políticas serão mantidas, não vão mexer nos partidos para fazer um xadrez completo." Jornal afirma que o ministro da Educação, Fernando Haddad, poderá dar lugar a Aloizio Mercadante, da Ciência e Tecnologia. O lugar de Mercadante, segundo o jornal, iria para o PSB. Jornal diz ainda que o Ministério do Trabalho, comandado pelo interino Paulo Roberto dos Santos Pinto após a saída de Carlos Lupi, “é alvo da cobiça de setores do PT, assim como a pasta de Cidades, pois o titular Mário Negromonte (PP) não deve ser reconduzido na reforma”. Estado, na capa, noticia que, “Para negociar cargo, PDT "exila" Lupi”. Diz que o partido “forçou o ex-ministro a continuar fora da presidência do partido para não atrapalhar as negociações com o governo sobre cargos”. Afirma que a presidenta Dilma não quer manter o PDT à frente do Trabalho. Folha, internamente, noticia que “PDT tenta evitar que PT assuma o Trabalho”. Em outra retranca, Folha informa que “Novos ministros mantêm velhas práticas após ‘faxina’”. Estado traz entrevista com deputado Miro Teixeira (PDT-RJ): “Quando se criam capitanias partidárias, fica difícil fiscalizar”. Folha, editorial, “Menos ministérios”; do Estado, “Caiu de podre”.

Amazônia/desmatamento menor – Folha destaca na capa que “Desmatamento na Amazônia é o menor desde 1988”. Jornal noticia que o governo federal anunciou ter alcançado neste ano a menor taxa de desmatamento na Amazônia desde 1988, quando o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais começou a medição. Informação é que o desmatamento acumulado entre agosto de 2010 e julho deste ano foi de 6.238 km2 – o equivalente a mais de quatro vezes o tamanho da cidade de São Paulo. Esse número representa uma queda de 11% em relação ao registrado no ano passado, 7.000 km2, que já era um índice recorde de baixa. Estado acompanha edição em “Amazônia tem menor desmate desde 1988”. Correio diz ainda que o Pará continua disparado no topo da lista dos que mais desmatam, respondendo por 46% do desflorestamento, índice que também caiu 15% em relação a 2010. Afirma que Mato Grosso e Rondônia, que também detêm altos índices de desmatamento, seguem tendência oposta. Valor dá segundo destaque de capa à notícia. Opinião de dirigentes do Greenpeace, no Globo, “Nas mãos de Dilma”.

Bacia de Campos/estaleiro e logística – Valor, na capa, em “Estaleiro para atender a Bacia de Campos”, informa que o Canal das Flechas, no norte fluminense, pode se transformar em dois anos em um dos principais polos de serviços logísticos para as atividades na Bacia de Campos, principal produtora de petróleo do país. A BR Offshore, holding de investimentos para o setor de óleo e gás, está estruturando projeto, com desembolsos previstos de R$ 450 milhões, para instalar no local estaleiro de reparos de embarcações offshore, uma base de apoio operacional para esses navios e um condomínio industrial de serviços e logística. Captação – Em outra chamada de capa, Valor informa que a “Petrobras abre frentes com captação em libras”. Estatal concluiu ontem uma rodada de captações de £700 milhões (US$ 1,1 bilhão). Lembra que na semana passada a Petrobras obteve, em euros, o equivalente a US$ 2,5 bilhões.

Serra/ “candidato” – Folha, internamente, diz que “Para tucanos, Serra já cogita ser candidato”. Informa que dirigentes do PSDB e secretários de Estado do governo de São Paulo passaram a avaliar como possível a candidatura do ex-governador José Serra a prefeito no ano que vem. Serra tem reiterado que não disputará novamente o cargo, para o qual foi eleito em 2004. Mas intensificou sua atividade política nas últimas semanas. Lembra que na última sexta-feira, Serra promoveu o seminário "Liderança política e gestão municipal nas grandes cidades", na Casa do Saber. Convocou para palestrar oito ex-assessores, que trabalharam com ele na prefeitura, no governo e no Ministério da Saúde. Folha, também internamente, diz que “Tucanos poupam Kassab e atacam PT”. Também internamente, Folha registra que “FHC cria página em rede social para discutir política”.

Lixo hospitalar/relatório – Correio, em “O lixo de guerra que virou roupa”, informa que lnçóis com sangue vindos dos EUA para o Recife seriam não apenas de hospitais americanos, mas também de unidades de saúde no Iraque e no Afeganistão. Diz que a comissão externa criada pela Câmara dos Deputados para acompanhar a devolução do lixo hospitalar encontrado no Recife e importado dos Estados Unidos encontrou indícios de que parte dos resíduos é proveniente de hospitais militares instalados pelos norte-americanos no Iraque e no Afeganistão. A informação estará presente no relatório final do deputado federal Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), previsto para ser concluído ainda neste mês.




Postar um comentário