terça-feira, 7 de outubro de 2014

Carta a meus amigos e amigas

Por Lúcia Ivanov

Eu insisto no voto em Dilma, porque, ao votar, decidimos o caminho que o Brasil vai tomar: como é que o emprego, a educação, a saúde, a política externa, a economia, a segurança, a soberania, as políticas sociais, enfim decidimos como tudo será tratado.  
Eu vivo no Brasil, na América Latina, sou gente, descendente de africanos, de portugueses, de árabes – sou Moura - e de índios. Fruto dessa mistura, toda a raça humana me interessa.
Nessas eleições, o que está em jogo é avançar na construção de um país mais igualitário ou retroceder à condição de colônia.
Marina, inflada pelo Partido da Imprensa Golpista, é a candidata dos banqueiros, dos especuladores que levaram à falência tantos países no mundo, particularmente, do Banco Itaú, que está financiando a candidatura dela.
Ela já falou que vai terceirizar os contratos com os trabalhadores, ou seja, propõe promover a volta à escravidão do tempo de FHC, quando os serviços públicos irão por água abaixo, servicinho começado por Collor.
 Volta a servidão do Brasil aos Estados Unidos. Por água abaixo também irão os empregos e os benefícios sociais dos governos do PT. O Banco Itaú é um dos piores patrões que existem.
Marina e Aécio já avisaram que não concordam em destinar os benefícios do pré-sal para a saúde e a educação. Todo mundo sabe que Obama quer que Marina ganhe porque estão de olho nas riquezas do pré-sal. Aécio também cumpriria bem esse papel. O “Mercado” os adora.
Mais cedo ou mais tarde vão provar que a queda do avião de Eduardo Campos não foi acidente.  Marina disse que foi a providência divina que fez com que ela não estivesse no avião, ou seja, a providência divina matou Eduardo para ela ser candidata.
Eu que nem sou tão religiosa assim, acho um absurdo usar o nome de Deus para fazer política. O Estado tem que ser laico para que todas as pessoas tenham liberdade de culto.
Só um Estado laico garantirá essa liberdade. Mistura de religião com política é fatal para qualquer país. O Brasil não precisa disso. O Brasil não precisa de disputas religiosas. Queremos viver em paz com nossas crenças. Usar a religião para fazer as pessoas decidirem os caminhos do País é crime de lesa-pátria.
Quanto ao candidato Aécio, que pilotando o cadáver de Tancredo Neves, sem tem um milésimo da seriedade do avô, já chegou a deputado, governador e até senador, essa é uma tentativa porca de reeditar o desastre do governo tucano de FHC, quando éramos capachos dos Estados Unidos “com muito orgulho”, quando o Brasil foi três vezes quebrado e os trabalhadores pagavam a crise da incompetência e do entreguismo tucano.
O neoliberalismo que destruiu a economia de tantos países, que desempregou tanta gente, que extirpou direitos sociais em tantas nações estaria de volta pelas mãos de um playboy incompetente e irresponsável, que nem devia estar sóbrio quando, num ataque de sinceridade, avisou que se eleito “tomaria medidas duras”, evidentemente, contra a soberania do Brasil.
Contra quem seriam essas medidas? Contra o Bradesco? Contra a Globo? Contra os ruralistas desmatadores? Ou contra os trabalhadores, como fez FHC e seu bando de piratas?
Eu, como sabem, defendo o respeito aos animais. Nem por isso considero que as antas ou as vacas devam tirar carteira de motorista. Mesma coisa com relação ao combate às drogas. Os drogados devem ser tratados adequadamente, ao tempo que o traficante tem ser combatido com políticas de Estado firmes e eficientes.
Mas acho que a reabilitação de drogado não deve ser feita em mandatos públicos, ainda que a elite se lixe para quem está encarregado dos destinos do Brasil. Quem permitir a ela mais exploração, maior extração de mais valia, mais privilégios, esse ou essa será seu candidato.
Pouco se lixa essa elite se o Brasil afundar em crise como estão os EUA e a maioria dos países da Europa. Eles acham que vão boiar enquanto o resto afunda. Afinal, são feitos de isopor, aliás, de um material menos nobre, que se chama bosta e que, realmente, boia!
Hoje, depois dos governos do PT, somos uma nação respeitada, não tivemos as crises que assolam hoje a Europa, o Brasil saiu do mapa da fome, quase 40 milhões de pessoas saíram da pobreza, têm sua casa, comem três, vezes por dia, as crianças vão às escolas, os jovens vão às universidades, construíram escolas técnicas para todo mundo, as pessoas se vestem bem, têm sua casa, seus móveis, a agricultura familiar alimenta o Brasil, entre outros incontáveis benefícios.
O mundo respeita hoje o Brasil, menos os coxinhas daqui que defendem com unhas e dentes sua condição de cadelas do imperialismo. Universidades do mundo inteiro, as mais respeitadas, concedem a Lula o título de Doutor Honoris Causa, para desespero e inveja da elite daqui.
Essa elite combate Lula, Dilma, o PT, dia e noite, e faz disso uma obsessão. Não tem projeto; move-se pelo ódio. E encontra respaldo no bando de desinformados que bebe na fonte da mentira mil vezes divulgada ao longo dos anos, contra esse ou aquela que tiver intenção de construir um Brasil melhor para a maioria.
Não existe elite mais cruel, mais atrasada, mais estúpida do que a nossa. Não bastasse seu DNA perverso, junta-se, na tarefa inglória de destruir os avanços que fizeram do Brasil a nação respeitada que é hoje, a evangélicos medievais, a católicos da organização fascista chamada Opus Dei, à massa de manobra composta de coxinhas que papagueiam a desinformação diária que recebe do PIG.
É material em putrefação ética nunca vista em lugar algum, a não ser na Venezuela, em países da América Latina, onde já aos estertores, usam as últimas armas para atacar um futuro que será melhor para a maioria e até para eles. Mas o medo de perder os privilégios os cega.
O Itaú, a Globo e seus iguais, os fanáticos religiosos, os ruralistas, os homofóbicos, os sexistas, as viúvas da ditadura militar, os coxinhas, os playboys, os pequenos burgueses que se acham o máximo não querem, mas o Brasil é um grande país e merece seguir seu destino de ser grande, próspero, solidário e de paz.  
Eu voto Dilma, Coração valente!
Postar um comentário