quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

QUAL A UTILIDADE DA MÍDIA?

Por Raul Longo

Você sabe: o Capitalismo é uma ideologia (se é que assim se o possa chamar) eminentemente utilitarista e a utilidade é baseada em retorno financeiro.
O que há de dúbio em identificar o Capitalismo como ideologia é que dentro desse sistema nada é feito sem pretender o maior retorno financeiro possível, mesmo quando aparente algum interesse comunitário, voluntário ou colaborativo.
Um exemplo são as campanhas de solidariedade ou pela preservação ambiental. Nenhum Capitalista investirá em esforços nesse sentido se não houver retorno que até pode não ser imediato, mas através do prestígio obtido para a imagem de sua empresa, ainda que a mais longo prazo o retorno tem que ter.
Nada contra! É a mola do sistema e seja qual for o motivo o que mais importa é que de alguma forma se estará promovendo uma conscientização sobre a questão ambiental ou social.
E a Mídia é imprescindível para a promoção dessa conscientização. Mas é apenas para isso que serve a Mídia?
Natural que não seja, afinal a Mídia também é um empreendimento Capitalista e como tal sua principal utilidade é de gerar recursos financeiros para seus administradores e os grupos Capitalistas a ela associado.
Então quando a Mídia combate um determinado grupo, seja do que for, está combatendo aos grupos que a ela não são associados. E ela têm estratégias para conscientizar contra aqueles que a ela não são associados.
Peguemos Cuba, por exemplo? Provavelmente a muito tempo a Mídia já o conscientizou de que Cuba vive sob um regime sanguinário, autoritário, tirânico, mantido sob a tortura de seu povo. Mas alguma vez já lhe ocorreu perguntar-se sobre a razão dos Estados Unidos não invadir Cuba?
Nunca estranhou não terem atravessado a tão pequena distância marítima apesar de que desde que se tornaram inimigos daquele governo já invadiram o Afeganistão, o Iraque, a Líbia do Muamar Gadafi e tantos outros países, povos e governos como hoje ameaçam ao Irã, à Síria e além da Guerra à Coréia fizeram também a guerra contra o Vietnam que durou mais tempo do que a 2ª Guerra Mundial.
Tudo isso lá do outro lado do mundo, mas Cuba ali ao lado só tentaram invadir no início da década de 60. No Guinness Fidel Castro está como recordista mundial histórico em vítimas de atentados contra a vida, mais de 700 ou 600 e quase todos pela CIA, mas invadir a Ilha não tentaram mais.
Certo! Você tem razão! Os Estados Unidos só não invadiu Cuba por causa dos mísseis soviéticos. Mas há quantos anos a União Soviética deixou de existir? Há quantos anos não há míssil algum impedindo os Estados Unidos de invadir Cuba?
Se poderia pensar que pelo próprio utilitarismo Capitalista é que os Estados Unidos não invadem Cuba. Afinal ali não tem petróleo como no Oriente Médio e só mesmo o Brasil para fazer um investimento naquela ilha no meio do Caribe!
Tem sua lógica, mas em 1983 os Estados Unidos invadiram e depuseram o governo de Granada, uma das menores ilhas caribenhas que após a intervenção estadunidense tornou a perder sua independência conquistada em 1974 e voltou a ser uma Monarquia Parlamentarista integrada à Comunidade Britânica.
Sabe quantas vezes a Rainha da Inglaterra visitou Granada? Muito provavelmente nenhuma e agora que o Parlamento Britânico mandou a Rainha conter as despesas do Palácio de Buckingham, certamente não irá mais se é que sabe onde fica e se existe um lugar chamado Granada sob sua coroa. No entanto, o Caribe deve oferecer algum grande interesse aos empreendimentos Capitalistas, pois do contrário os Estados Unidos não invadiriam Granada só pra dar de presente pra Elizabete II (se é que não estou enganado e for a I, III ou IV).
Mas a pergunta é: se invadiram Granada por que não invadem Cuba? Já se perguntou sobre isso? Cuba não tem armas, sofre o mais logo bloqueio econômico já imposto contra um país e se o povo é tão oprimido por um tirano, como diz a Mídia, nada seria mais fácil!
Se considerar tudo isso, você começará a desconfiar dessa anunciada tirania e a desconfiar do que informa a Mídia.
Acontece que ao contrário do que se pensa, a principal utilidade da Mídia não é a de informar o que seus associados desejam que sejamos informados. E além de nos fazer acreditar em que por qualquer raciocínio lógico que nos ocorra acabamos concluir que em verdade não acontece, a Mídia tem a importante função de nos esconder o que o realmente acontece.
Nas duas notícias a seguir você poderá perceber como é que a Mídia que aparentemente tem a função de informar, na realidade cumpre com a função de impedir que nos informemos. Na primeira você poderá perceber a estratégia da Mídia internacional e na segunda a mesma estratégia quando usada pela Mídia nacional.
Certamente você irá concluir que como empreendimento Capitalista é lógico que a Mídia tenha de ser útil ao que lhe propicie maior retorno financeiro, mas aí se sugere outra questão: em que você é útil à Mídia? Ou melhor: em que a Mídia é útil pra você?
Ah claro! A Mídia não informa, mas diverte, entretém. Têm o Big Brother, as novelas, o CQC, o Criança Esperança, o Faustão, Silvio Santos...    
  


GUANTANAMO ES EL INFIERNO EN LA TIERRA  

       Ya se pasaron 12 años de suinstalacion, 5 de lapromesadel presidente Obama de que lo iria cerrar. Pero Guantanamosigue, como elpeor atentado a losderechos humanos desde muchas décadas. Nada se compara enel mundo de hoy a lasviolaciones a losderechos mas elementales de los seres humanos que todo lo que pasaenGuantanamo.

             Por eso Estados Unidos loinstalófuera de su território, fuera de cualquiercircunscripcion de cualquier tipo de control jurídico. Enel limbo constituído por esaotra monstruosidade – un território imperial inscrustradoen território cubano, en contra de lavlountad soberana delpueblo de Cuba.

               Asi, eneseespacio de nadie – o mejor, del terror imperial – siguensucediendoselaspeores formas de tratamiento animalesco de seres humanos. Ellosyahanllegado a laprision amarrados como animales, concapuzas, desigurados de cuaquier fisionomia que recordara que se trata de seres humanos, para que pudieran ser tratados como bestias.

             Presos en jaulas, como animalessalvajes, amarrados todo eltiempo, concapuzas, sin poder siquieraleerelAlcooran, alimentados a fuerza todos losdocenas de presos que mantienenhuelga de hambre – es lasituacion mas desumana que se desconoceenel mundo hoy.

             Acusados de terrorismo, sincualquierprueba, sincualquierobligacion de cumplimiento de cualquier norma jurídica, sintener que probar a nada a nadie, ellosson as victimas de la cobardia internacional. No hayningunagran iniciativa enel mundo que busqu acusar y punir lo que los EUA hacenenGuantanamo, como si fuerasupateotraseroenla era de la guerra fria.

             Cerca de 800 pessoas passaram por esse inferno, 150 ainda estão ali, 9 morreram, apenas 7 foram condenados – 5 deles se declararam culpados para apelar a acordos que lhes permitiram sair da prisão. 6 dos suspeitos podem ser condenados à morte.

             Estados Unidos debieran, ademas de ser condenados expressamente por todos los organismos internacionales que minimamente se ocupan de losderechos humanos, estar excluídos de participar y de se pronunciar sobre lasituacion de losderechos humanos encuaquier lugar del mundo, mientras siga existiendoGuantanamo. Menos todavia podrialos EUA se sede de laComision Interamericana de Derechos Humanos, de la OEA.

                Guantanamo es la mas grande verguenza mundial eneltratamiento de seres humanos. Los países que se reividican politicas externas soberanas, tienen que unirse y exigir elfin de laprision de Guantanamo y, ademas, lasdevolucion de ese território que no lepertenece, a Cuba.


Enquanto Alckmin aumentava e criava novas taxas, a mídia distraia os paulistas com o IPTU progressivo da prefeitura do Haddad.

Deu certo de novo...

____________________________

Antônio de Souza: Mídia, que tanto falou do aumento do IPTU, se cala sobre as 27 novas taxas de Alckmin
publicado em 29 de janeiro de 2014 às 0:03



Antônio de Souza: A partir de 27 de março,  Alckmin poderá ser chamado Geraldo das Taxinhas
por  Antônio de Souza Lopes da Silva
A partir de 27 de março, os paulistas começam a pagar 27 novas taxas além do aumento em até 116% dos tributos cobrados pelo Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP), como o emplacamento de veículos.
Entra em vigor a lei 15.266, sancionada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) e publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo em 27 de dezembro de 2013, que “dispõe sobre o tratamento tributário relativo às taxas no âmbito do Poder Executivo Estadual”.
Bem no final de 2013, Alckmin enviou às pressas à Assembleia Legislativa o projeto de lei nº 916/2013, que “dispõe sobre o tratamento tributário relativo às taxas no âmbito do Poder Executivo Estadual”.
Aqui, a lei prevê o valor das taxas em Ufesp — a Unidade Fiscal do Estado de São Paulo.
Ela é definida segundo a variação acumulada do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) da Universidade de São Paulo (USP).
Em 2014, esse reajuste ficará em 3,98%.
O que fez Alckmin? Ele aumentou o número de Ufesp por serviço.
Na segurança pública, criou 10 taxas novas, sendo várias para shows pirotécnicos e carros blindados.
A blindagem de veículos, devido ao crescimento do crime e da violência, cresceu 35% em 2013 no País. Segundo a Folha, foram blindados no Brasil 10 mil carros no ano passado, sendo 72% deles no Estado de São Paulo.
Ou seja, o governo paulista deve arrecadar por ano R$ 18 milhões a mais. Além disso,a taxa para policiamento de espetáculos artísticos e culturais subiu quase 10%.
Abaixo tabela das novas taxas para serviços de segurança pública.



Alckmin criou 17 novas taxas no Detran, entre as quais estas:
*Para funcionamento de estabelecimento que faz vistoria de identificação veicular ou inspeção de segurança veicular.Custará R$ 1356,00.
*Para desmanche.Terá o valor de R$ 3.874,00.
* Estabelecimento que comercializa peças usadas de veículos automotores.Valor previsto de R$ 575,00.
*Preparação de leilão. Por veículo ou bem custará R$ 97.
Este quadro está detalhado na tabela abaixo.
O governo paulista também aumentará o valor de uma série de serviços, especialmente emplacamentos de veículos nas concessionárias.
No Detran, o emplacamento de veículos subirá de 8% a 46%, já nas concessionárias, de 84% a 133%.
Aliás, a maior parte dos cidadãos prefere emplacar veículos nas concessionárias para ter acesso imediato ao seguro e, assim, proteger seu bem do alto número de roubos de veículos.O estranho é que Alckmin, o responsável pela segurança do paulista, pune o cidadão que já não se sente protegido pela polícia.
Em 2012, de acordo com o site do Detran-SP, foram emplacados um pouco mais de 3 milhões de veículos. Em 2014, se for emplacado o mesmo número que em 2012, o governo paulista arrecadará R$ 336 milhões com a nova lei.
Estes dados estão na tabela abaixo:

























Qual o motivo do aumento dessas taxas e criação de outras?
É viabilizar a parceria público-privada (PPP) dos pátios veiculares.
As taxas são garantia para o concessionário privado, como revela a ata da reunião do programa estadual de parcerias público-privadas, realizada 7/11/2013.



O aumento abusivo no valor das taxas será para bancar o que o governo terá de pagar ao setor privado. Está na ata da mesma reunião:








Com respeito ao aspecto econômico-financeiro, os fluxos foram projetados para uma demanda estimada de 30 (trinta) mil veículos/mês e resultaram numa contraprestação máxima anual de R$ 387 (trezentos e oitenta e sete) milhões, adotando-se os valores de taxas praticados hoje pelo DER.
A PPP dos pátios busca superar uma situação de total falta de padronização e irregularidades flagrantes no atual sistema.
O governo afirma que:



De 2010 a 2013, a receita de taxas cresceu 29%, alcançando o valor de R$ 4,3 bilhões.
As taxas da nova lei de Alckmin abrangem R$ 2,7 bilhões; a maior parte se refere aos serviços do Detran.
A elevação de, pelo menos, R$ 354 milhões por ano  (aumento projetado das taxas de segurança pública e do Detran)  penaliza o cidadão paulista e se mostra abusiva, visto que as taxas já são atualizadas anualmente pelo IPC da Fipe e tiveram crescimento expressivo, chegando em alguns casos  a 116%.
Com esses aumentos exagerados de taxas e a criação de outras 27, o governador Alckmin, a partir de 27 de março, poderá ser chamado Geraldo das Taxinhas.
Detalhe: a grande imprensa, que deu manchetes contra o aumento do IPTU na cidade de São Paulo, praticamente está calada em relação ao aumento das taxas dos tucanos, que prejudica todo o povo paulista.

Postar um comentário