sábado, 6 de julho de 2013

Dublê da Globo é o herói da Veja

05/07/2013
Veja_Maycon_Freitas01
Fernando Brito, via Tijolaço

O Blog Contexto Livre publica e a gente foi conferir. E achou muito mais. Maycon Freitas, o entrevistado das páginas amarelas da Veja desta semana, como “representante” dos manifestantes da onda de protestos que tomou as ruas, presta serviços como dublê a Rede Globo de Televisão.
A Veja, é claro, nem se importou que Maycon tenha quase o dobro da idade da maioria dos manifestantes, mas o transformou num grande ativista cibernético.
Veja_Maycon_Freitas02
Apresentado como “a voz que emergiu das ruas”, Maycon é apresentado como líder de uma comunidade no Facebook, a União Contra a Corrupção, onde se publica ou republica coisas como essa imagem aí em cima, dizendo que os médicos cubanos (cadê?) são guerrilheiros disfarçados e que um golpe comunista está em marcha. É mentira, a página é mantida por Marcello Cristiano Reis, um advogado paulista.
Se tivesse ido olhar o perfil de Maycon no Facebook veria que, antes de virar “celebridade”, suas últimas postagens foram em janeiro, com pérolas do tipo:
“Mulher que diz que homem é tudo igual. É porque nunca soube fazer a diferença na vida de um.”, ou “no carnaval as mina pira, em novembro as mina “pari”. “No carnaval os mano come, em novembro os mano some.”
Antes, em 2002, a vida estava boa para Maycon, como você pode ver nas fotos do líder de massas em Cancún, no México, num turismo “padrão Fifa” de deixar a gente com inveja. Como está sofrendo o revoltado Maycon!
Veja_Maycon_Freitas03
Ah, essa internet…
Ah, essa Veja
PS.: Até de um mistificador como o Maycon a gente respeita a privacidade. Todas as fotos são públicas em seu Facebook não necessitam de compartilhamento.



***
Veja_Maycon_Freitas04
Herói da Veja: “Eu trabalho na Globo, melhor trabalho do mundo.”

Fernando Brito, via Tijolaço

Só para acabar de mostrar que o “herói” das páginas amarelas (ou seriam marrons) da Veja desta semana, como “representante” dos jovens que participam das manifestações de rua é uma manipulação sem-vergonha, que ofende qualquer um que se pretenda jornalista, posto aí embaixo o vídeo do canal do YouTube do Rei Lux.

Fantasiado de policial, pendurado num helicóptero, o nosso “Rambo”, entre uhus e ahhas grita: “Eu trabalho na Globo, melhor trabalho do mundo!”

Rambo ou Bozó?
Postar um comentário