domingo, 17 de março de 2013

ORIXÁS

Raul,
Comecei a ler. Ando um pouco sem tempo, mas vou ler aos pouquinhos. Mas não quero esperar para divulgar essa obra, que tenho certeza ser do nível sempre excelente dos seus textos.
Abraço. 

Olá Cari!

Como vai você?
Estou enviando o PDF anexo porque finalmente consegui cumprir meu compromisso com o parceiro Édison Braga. Compromisso que se completa com essa postagem, conforme explico nas duas primeiras páginas da apresentação do arquivo anexo e peço que as leia.
O restante do arquivo é bastante grande, praticamente um livro, e como acho cansativo ler arquivos tão extensos por computador ao invés de numerar os títulos de cada episódio do seriado “Orixás”, no índice da página 3 transformei-os em links seguidos de breve epígrafe para que possa ir direto àqueles que lhe parecer interessante ou sinta alguma identificação com o arquétipo representado pelo orixá a que se refere.
Se preferir conferir a sequência da história dos personagens criados pelo Édison, imprima o arquivo e boa leitura.
Conforme conto na apresentação, alguns desses episódios foram distribuídos assim que acabei de escrever cada roteiro. Mas aqui estão todos revisados e melhorados, até onde me foi possível fazê-lo na expressão cinematográfica em que tenho pouca ou nenhuma habilidade.
Meu esforço em promover a cultura afro-brasileira e o desejo do Édison -- que em suas palavras dizia pretender que fosse “a chave de ouro do fechamento de minha carreira” -- só se complementará com a colaboração de muitos na distribuição do anexo ao maior número de pessoas possível, juntamente com esta mensagem endereçada aos seus correspondentes para que a proposta se multiplique e se expanda pelos que consideram importante o desenvolvimento de uma linguagem de TV baseada na realidade e na cultura brasileira. Gostaria muito que todos houvessem conhecido o Édison para saberem o quanto ele merecia essa boa vontade de cada um.
Tanto que apesar das muitas atribulações no ano que passou, fui tentando desenvolver a história desses personagens para servirem de elo entre as histórias que escrevi quando vivia na Bahia.
E aí estão: a perspicácia do homossexual Bibi, as dúvidas militares do Tenente Ambrósio, os delírios de Ronald, o cineasta estadunidense a quem dotei do antiamericanismo emprestado de alguns amigos daquele país; e, sobretudo, a paixão da Marli que em comum eu e Édison idealizamos para construção da liberdade das mulheres brasileiras... De todo o mundo, na verdade.
Sentirei saudades desses personagens criados pelo Édison em nossa breve parceria. Inclusive do Dodô Excelência que originalmente Édison não imaginou de tão deturpado caráter, mas no decorrer da história foi se me revelando uma representação de certo político baiano de projeção nacional.
Espero que esses filhos do Édison a mim confiados para alimentá-los, também o comovam e divirtam bastante. Se gostar deles, por favor, apresente-os a todas as pessoas de seu relacionamento.
Ficaremos muito agradecidos!
Por mim e pelo Édison Braga, grande abraço!
Raul Longo
P.S.: aguardo sua opinião, críticas, comentários e sugestões.
Postar um comentário