quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Mentiras tem voos curtos



“Mentira tem pernas curtas”, diz o ‘velho deitado’. Já as mentiras tucanas, tem voo curto e desajeitado.
Tucanos, e seu braço armado (ou seriam penas armadas?), fazem muito alarido contra as elevadas taxas de impostos, contra as elevadas taxas de juros, contra o que apelidaram de ‘custo Brasil’.
Como é característico da espécie, com seus olhos azuis, peito estufado e olhar distante, fazem muito barulho e ouvem muito mal.
Fazem barulho contra os juros altos (que foram eles que criaram), mas, quando o Governo adota medidas e aplica políticas para baixar os juros, os tucanos fazem de tudo para impedir. Passam a fazer alarido anunciando o fim dos tempos se os juros cairem.
Gritam contra as elevadas taxas de impostos (que foram eles que criaram). Mas, quando olhamos os impostos dos estados administrados por governadores tucanos (São Paulo, Minas Gerais e Paraná) percebemos que os impostos destes estados estão entre os mais elevados do Brasil.
ICMS é um imposto que os estados tem autonomia para definir.
(http://contadezonline.cenofisco.com.br/novo/agenda_contadez/site/aliquotas_ICMS_estados_brasileiros.PDF).
Minas Gerais, que os tucanos controlam há décadas, tem as taxas de ICMS geral mais alto do Brasil. Enquanto na maioria dos estados a alíquota máxima é de 25%, em Minas chega aos 30% e no Paraná, outro estado controlado por tucanos, é de 27%.
Quando olhamos o ICMS específico sobre energia elétrica, descobrimos algumas coisas muito reveladoras sobre o ‘modo tucano de governar’.
Em Minas Gerais, o ICMS da energia elétrica é de 30%, o mais elevado do Brasil (em segundo lugar está o Paraná, com 27%). Em todos os outros estados, o ICMS da energia elétrica está abaixo dos 25%.
Mas, a coisa não fica por aí.
A maioria dos estados pratica alguma forma de redução da alíquota para os consumidores de mais baixa renda. A redução se dá por faixa de consumo. Quem mais consome paga alíquota mais alta e os menores consumos pagam taxas menores. Em Minas Gerais, terra de Aécio Neves, os únicos beneficiados com pequena redução de alíquota são os produtores rurais (25%).
Outro dado muito interessante de Minas, a terra de Aécio, é que o ICMS sobre cigarros, bebidas alcoólicas, armas e munições é de 25%, menor que o ICMS sobre energia elétrica. Ou seja, se fôssemos adotar a tática tucana de tirar conclusões apressadas a partir dos números, poderíamos concluir que os governos tucanos de Minas, a terra do Aécio, dão mais estímulos ao consumo de álcool, fumo e armas, do que ao consumo de energia elétrica.
E, agora, a mais recente façanha do ‘modo tucano de governar’: TUCANOS SÃO CONTRA A REDUÇÃO DAS TARIFAS DE ENERGIA ELÉTRICA. Na tentativa desesperada de prejudicar a Presidenta Dilma, decidem prejudicar todo o Brasil. Para eles não importa o impacto para o Brasil ou para o povo brasileiro, importa apenas seu projeto de chegar ao poder a qualquer custo – é o ‘Custo Bico Grande’.
Fazem alarido contra o chamado ‘custo Brasil’. Mas, o que temos quando o Governo adota medidas para reduzir uma parte significativa deste ‘custo Brasil?
Desnuda-se mais uma das mentiras de curto voo dos tucanos.
Quando o Governo Federal define uma política para a redução das tarifas de energia elétrica, entre as mais caras do mundo, novamente, os tucanos fazem-se de surdos e gritam contra uma medida necessária e aguardada por todos os brasileiros.
Como é próprio da espécie, tucanos fazem muito alarido e ouvem muito mal. Não conseguem ouvir o que é bom para o Brasil e para o Povo Brasileiro.
Ouvem muito bem os reclamos dos acionistas, preocupam-se apenas com compromissos que assumiram com os controladores de empresas que, aparentemente, seriam estatais dos estados tucanos.
Entre as necessidades dos brasileiros ou os lucros dos acionistas, os tucanos sempre escolherão ficar do lado dos acionistas. Assim se explica a estapafúrdia decisão de ficar contra uma medida da maior importância para os brasileiros e para o Brasil.
Tucanos são aves que podem ocorrer em quase todo o território nacional. Tem olhos azuis. Tem o peito sempre estufado e olhar distante. Não são muito bons de voo. Avançam aos pulitos, de galho em galho. O voo é curto e desajeitado. Fazem muito alarido e ouvem muito mal. Não dispensam insetos e podem ser predadores dos ninhos de outras aves devorando os filhotes. São animais inquietos, que vivem em bandos e se movem o tempo inteiro, gritam, chiam e pulam de galho em galho. Por enquanto, não estão no rol das espécies ameaçadas de extinção.
Tem os pés com dois dedos virados para a parte frontal e dois dedos virados para a parte traseira.
O bico, grande e oco, equivale à um terço de todo o corpo. A parte superior é constituída por trabéculas de sustentação e a parte inferior é de natureza óssea. Não é um bico forte, já que é muito comprido e a alavanca não é suficiente para conferir tal qualidade.
Postar um comentário