terça-feira, 2 de outubro de 2012

Síntese da Mídia impressa sobre as eleições

Confirma-se a previsão de tribunal de exceção. As vésperas das eleições intensifica-se a espetacularização do julgamento. A principal decisão de qualifica com "compra de votos", quando todos os fatos mostram tão somente a existência de "caixa dois", demonstra uma perturbação jurídica inquestionável. É uma violência e manipulação sem precedente sobre fatos ocorridos no período de campanha eleitoral durante o Governo Lula. É nítida a intensão de destruir o que representa o Lula e o Partido dos Trabalhadores na história das lutas políticas no Brasil. Via indireta, é claro, também atingir o Governo Dilma.



Mensalão/compra de apoio – Jornais de circulação nacional e Correio dão manchetes para o julgamento do mensalão. Folha, em “Mensalão comprou votos no Congresso, conclui STF”, noticia que sete dos dez ministros do STF decidiram que houve um esquema de compra de votos de parlamentares no Congresso durante o primeiro mandato do presidente Lula, entre 2003 e 2004. Afirma que “a decisão sepulta a tese do PT de que o mensalão se tratava de caixa dois eleitoral, aceita só pelo ministro Ricardo Lewandowski”. Relata que os ministros concluíram o julgamento dos políticos aliados e condenaram 12 dos 13 réus. Anota ainda que o delator do mensalão, Roberto Jefferson (PTB), já culpado por corrupção passiva, também o foi por lavagem de dinheiro. Lembra que amanhã começa a etapa que tratará dos réus do PT, entre eles José Dirceu. Até agora, 22 foram condenados. Estado, “Mensalão foi compra de apoio político, confirma STF”. Globo, “Supremo conclui que PT comprou apoio político”. Correio, “Acaba a farsa de que mensalão era Caixa 2”. Ressalta que o ministro Celso de Mello chamou os réus de "marginais do poder" e classificou o esquema de um "projeto criminoso" que vitimou toda a sociedade. Gurgel – Folha noticia internamente que “Mensalão vai dar em prisão sim, diz Gurgel”. Globo, internamente, “Para Gurgel, provas contra Dirceu são ‘torrenciais’”. E outra, “Procurador diz confiar em cadeia para acusados de corrupção”. Editorial da Folha, “Fim da farsa”.

Eleição-SP/“metendo o bico” – Segundo destaque de capa, Estado noticia que “‘Vim meter o bico em SP’, afirma Dilma”. Reporta que a presidenta disse ontem, em comício de Fernando Haddad (PT) na zona leste da cidade, que veio à capital paulista meter o "bico" nas eleições municipais. Lembra que a frase foi uma resposta ao candidato José Serra (PSDB), que criticara a entrada de Dilma na campanha. "Estou aqui metendo o bico nesta eleição porque SP é um lugar onde moram milhões de brasileiros. Não tem como dirigir o Brasil sem meter o bico em SP", afirmou Dilma ao lado do ex-presidente Lula e do candidato – fotos do alto na Folha, Estado e Globo. Estado diz que Lula decidiu que vai participar diariamente de eventos de campanha de Haddad até o primeiro turno, no dia 7. Folha destaca no alto da capa que “Dilma rebate Serra e diz ter o dever de 'meter o bico' em SP”. Globo também destaca assunto na capa, “Dilma critica FH e Serra em comício”. Acrescenta que Dilma também defendeu Lula, criticado por FHC: "Lula deixou para mim uma herança bendita. Tem muita gente por aí que tenta mudar essa situação." Correio acompanha: “Dilma, enfim, se une a Lula em comício de Haddad”. Folha diz na capa que “O PT pagará a viagem de Dilma”. Informa que o partido terá de pagar pela viagem da presidenta Dilma de Brasília para São Paulo para ir ao comício de Fernando Haddad e por deslocamentos terrestres na cidade. Cita o Planalto para informar que o valor a ser ressarcido deverá ser definido até o fim da semana. Dilma/BH – Folha, internamente, informa que “Dilma vai a Belo Horizonte, e Aécio fala em dar uma ‘lição’ no Planalto”. Globo, internamente, “Com receio de segundo turno em BH, Aécio Neves ataca PT”. Russomanno/máfia/apoio – Estado chama na capa que “Pivôs de escândalo apoiam candidato”. [Pela posição da chamada, título induz à leitura que “candidato” seria Haddad e “escândalo”, mensalão.] Notícia é que quatro ex-vereadores do escândalo da máfia dos fiscais dão suporte à candidatura de Celso Russomanno (PRB). José Izar, Vicente Viscome, Zé índio e Archibaldo Zancra – envolvidos no esquema que teria arrecadado R$ 473 milhões em propinas de camelôs na gestão Celso Pitta – estão na linha de frente na busca de votos. “Turma do pedágio” – Com este título, nota de abertura de Painel, na Folha, diz que, “entre os notáveis que a campanha de Celso Russomanno reuniu para dar verniz técnico ao seu plano de governo estão dois antigos aliados de Geraldo Alckmin na área de transportes: o ex-secretário Dario Rais Lopes e o ex-diretor da Artesp Ulisses Carrara”. Folha, internamente, noticia que “Russomanno diz que Haddad mente sobre tarifa de ônibus”. Serra/Lula – Folha, internamente, registra que “Governo Lula foi condenado pelo STF, diz tucano”. No Estado, “‘Lula se aposentou faz tempo’, diz Serra”. Estado registra internamente apoio de Malafia a tucano.
Postar um comentário