quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Síntese da MIDIA IMPRESSA


    Jornais convergem de modo unânime para manchetes sobre o Programa de Investimentos em Logística anunciado ontem pelo governo. Enquadramento predominante é o de que governo “mudou de rota” (Estado) ou quebrou paradigma (Valor) ao adotar a privatização, termo usado em todas as capas, menos no Brasil Econômico, cuja manchete fala da boa acolhida da iniciativa pelos empresários. Globo noticia interna e solitariamente que o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), prometeu secretaria a ex-Valec Juquinha, conforme atestam gravações telefônicas da PF na Operação Trem Pagador. Greve dos servidores também é destaque, com foto-legenda na Folha, chamada de capa em Valor sobre reajuste linear a partir do ano que vem e aprovação pelo ex-presidente Lula da maneira como a presidenta Dilma vem enfrentando as paralisações. Destaques ainda para proposta de reformulação do ensino medido e julgamento do mensalão.

Pacote/logística – Jornais dão manchetes para Programa de Investimentos em Logística. Valor, em “Dilma põe setor privado no centro dos grandes projetos”, informa que o pacote de investimentos em infraestrutura anunciado pela presidenta Dilma “quebra um paradigma dos governos do PT: de agora em diante, o investimento em rodovias e ferrovias será liderado pelo setor privado e não pelo Estado”. Relata que o pacote prevê investimentos privados de R$ 133 bilhões nos próximos 25 anos, dos quais R$ 80 bilhões, nos próximos cinco anos. Anota que ele transfere à iniciativa privada 7,5 mil quilômetros de rodovias, com novas regras para o início da cobrança de pedágio, e a construção ou modernização de 10 mil km de linhas ferroviárias. Frisa que nas ferrovias que serão construídas pelas empresas passará a vigorar o modelo de "acesso aberto", que rompe com a regra de exclusividade na operação. Explica que, por meio da Valec, a nova malha poderá ser usada por diversas empresas, eliminando o monopólio sobre as linhas. Estado, “Governo muda de rota com plano bilionário de privatização”. Jornal traz foto de Dilma discursando, com foto de locomotiva ao fundo. Acrescenta que o BNDES financiará até 80% dos projetos. Jornal diz que choque na infraestrutura foi comparado a um modelo de privatização até por empresários presentes à cerimônia de anúncio do programa, no Palácio do Planalto, mas a presidenta Dilma não só rejeitou o termo como criticou a venda de estatais ocorrida na gestão do PSDB (1995-2002). "Nós, aqui, não estamos desfazendo de patrimônio público para acumular caixa ou reduzir dívida", disse. Internamente, Estado traz a avaliação do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que o programa lembra o "choque de gestão" adotado por administrações do PSDB e criticado por petistas. "O governo não deve ser executor de tudo, nem financiar tudo. O governo tem papel de planejador. Essa é a visão moderna, que já fizemos em São Paulo há 15 anos. Vai dar certo." Retranca interna do jornal diz que “Concessão e privatização são sinônimos”. [Jornais trazem matéria paga dos tucanos em tom provocativo, “O PSDB cumprimenta presidente Dilma”.] Em outra chamada de capa sobre o assunto, Estado destaca que “Modelo para ferrovias quebra monopólio”. Folha diz em manchete que “Privatizações de Dilma prometem R$ 80 bi em 5 anos”. Globo, que “Dilma ‘privatiza’ rodovias e ferrovias”. Frisa que, “elogiada pelo PSDB, presidente diz consertar erros do passado”. Registra declaração da presidenta que "Não estamos nos desfazendo de patrimônio público". Correio, “A privatização para o país andar”. Brasil Econômico registra em manchete que “Pacote de R$ 133 bilhões de Dilma é bem recebido pelos empresários”. Valor, internamente, informa que “Desoneração de folha valer[a para vencedores de concessões”. Em outra chamada de capa, Valor diz que “SP também terá pacote de infraestrutura”. Informa que o governo do estado busca uma forma de reduzir as tarifas de pedágio em suas rodovias e também prepara uma nova rodada de grandes concessões de infraestrutura ao setor privado. Diz que a lista é encabeçada por 32 aeroportos, como os de Ribeirão Preto e Presidente Prudente, que estão saturados e precisam de investimentos. Editoriais: Folha, “Destino incerto”; do Estado, “Desatolando o governo”.
Perillo/Juquinha/diálogo gravado – Globo, internamente, reporta que “Perillo prometeu secretaria a Juquinha em GO”. Informa que as investigações da Operação Trem Pagador podem complicar ainda mais a situação do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), que já tem que explicar a natureza de suas relações com o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Numa das interceptações da Trem Pagador, autorizadas pela Justiça Federal, a Polícia Federal gravou conversas de Perillo com o ex-presidente da Valec José Francisco das Neves, o Juquinha, preso pela PF como resultado da mesma investigação. Num diálogo transcrito pelo jornal, Perillo promete dar ao ex-presidente da Valec a Secretaria das Cidades, departamento com orçamento elevado, em troca de apoio político. Na mesma conversa, o governador diz que quer para o comando da secretaria uma pessoa que seja um "avião supersônico" para levantar dinheiro em Brasília com o mesmo padrão de sucesso do ex-dirigente da empresa pública de ferrovias. Valor, internamente, noticia que “Corrupção em compras públicas é a que mais cresce”, debate promovido pelo jornal em seminário “O impacto da corrupção sobre o desenvolvimento”. Vergonha – Correio diz na capa que “Mulher faz CPI passar vergonha”, sobre depoimento de Roseli Pantoja da Silva, que teve o nome usado pela quadrilha.
Greve dos servidores/reajuste – Valor informa na capa que “Governo vai propor reajuste aos servidores”. Diz que o governo decidiu fazer uma proposta salarial concreta aos servidores públicos em greve há mais de dois meses. O acordo prevê reajuste entre 4,5% e 5,5%, a partir do próximo ano, e o estabelecimento de uma política de aumentos até 2015. Globo chama na capa que “Lula desestimula ações grevistas”. Diz que, a exemplo do ex-presidente FHC, Lula elogiou atitude de Dilma com os grevistas: "O governo nem sempre pode atender àquilo que as pessoas querem." Folha traz foto-legenda “Foice presidencial”, que mostra protesto de servidores com boneco da presidenta em frente ao Palácio do Planalto. Folha registra internamente que “Governo decide dar 15% de reajusta para tentar encerrar greve”. Em outra retranca, que, “Sem acordo, PF promete parar aeroportos”. Globo, internamente, afirma que “Empresários já sentem os efeitos da paralisação dos servidores”. Opinião do físico da Unicamp Rogério Cezar de Cerqueira Leite, na Folha, “A greve universitária e o princípio do prazer”.
Ensino médio/reformulação – Folha chama na capa que “Reformulação do ensino médio terá fusão de matérias”. Informa que o Ministério da Educação quer reagrupar as atuais 13 matérias em quatro áreas — ciências humanas, ciências da natureza, linguagem e matemática. Para o MEC, a compreensão pelo aluno vai ser facilitada. Internamente, Folha destaca que “Mudança é boa, mas difícil de aplicar, dizem educadores”. Diz que o principal entrave estaria na reorganização dos professores. Jornal traz pequena entrevista com ministro Aloizio Mercadante, que afirma que “Enem será o modelo do novo currículo”, aludindo ao fato de que o exame já se estrutura em torno de eixos. Estado, internamente, registra que “Haddad critica Serra por índice da rede municipal”. Valor também registra assunto internamente. Editorial da Folha, “Nota 5, e olhe lá”; do Estado, “O estado da educação”.
Mensalão/Lula – Estado noticia no alto da capa que “STF rejeita incluir Lula como réu do mensalão”. Informa que os ministros do Supremo Tribunal Federal rejeitaram ontem, por unanimidade, incluir o ex-presidente Lula como réu do mensalão. O pedido havia sido feito pela defesa do presidente do PTB, Roberto Jefferson, que o acusou de ter ordenado o mensalão. Em outra chamada de capa, Estado diz que “Advogado de Duda defende Lula”. Reporta que a defesa do publicitário Duda Mendonça defendeu o ex-presidente Lula e ex-ministro José Dirceu e afirmou ao STF que o mensalão foi criado por Jefferson. Erro – Folha chama na capa que “Erro do STF livra réu de julgamento do mensalão”. Informa que um erro do Supremo livrou Carlos Alberto Quaglia do julgamento do mensalão na corte. Ele teve sua defesa prejudicada porque durante três anos, o STF notificou o advogado que já não defendia mais o réu. O caso vai à primeira instância. Na mesma chamada, Folha reporta que, em São Paulo, o jornalista Fernando Morais, que escreve a biografia de José Dirceu, admitiu ter se beneficiado de dinheiro de caixa dois quando foi deputado. Diz que “Ele admitiu crime eleitoral para defender Dirceu”. Globo também registra na capa que “Falha faz STF excluir réu”. Correio registra na capa declaração do ministro Joaquim Barbosa ao ter seu pedido de ação contra advogados que o teriam ofendido rejeitado pela Corte, “Cada país tem o tipo de Justiça que merece”.
Haddad x Kassab – Folha, internamente, noticia que “Haddad ataca Kassab ao ser questionado sobre mensalão”. Informa que o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou ontem que há corrupção na gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD), que apoia seu adversário José Serra (PSDB). Diz que ele atacou a administração municipal ao ser questionado sobre o uso, na campanha do tucano, do julgamento de petistas no processo do mensalão no STF. "Existe um debate sobre corrupção na cidade de São Paulo. Nós temos vários secretários municipais que estão respondendo a processos por improbidade", disse. Jornal lembra que o secretário Januário Montone (Saúde) é réu sob acusação de fraudes em licitações da merenda escolar, e Eduardo Jorge (Meio Ambiente) responder por irregularidades na inspeção veicular. Em outra retranca, registra resposta do governador Geraldo Alckmin, “Problema do petista é falta de votos”. Estado também registra internamente que “Haddad afirma haver corrupção na gestão Kassab”. Serra/evangélicos – Folha noticia internamente que “Serra monta comitê evangélico e faz périplo por igrejas”. Informa que o tucano vem fazendo um périplo por igrejas evangélicas na tentativa de atrair apoio de seus líderes. Diz que a importância dada ao segmento motivou a criação de uma espécie de comitê evangélico, vinculado à coordenação de mobilização da campanha, que responde pela aproximação com o setor. Estado noticia internamente que “Serra defende política de trânsito e depois usa helicóptero”. Soninha/pedágio – Folha chama na capa que “Soninha defende plebiscito para pedágio urbano”. Informa que a candidata do PPS à Prefeitura de São Paulo defendeu ontem, na sabatina Folha/UOL, a realização de um plebiscito sobre a adoção do pedágio urbano no centro da cidade. [Estado noticia internamente que “Área de Pinheirinho vai a leilão por R$ 187 milhões].
MS/ataque a índios/criança morre – Globo informa internamente que “MPF pede à Polícia Federal investigação de ataque a índios”. Noticia que o Ministério Público Federal no Mato Grosso do Sul pediu instauração de inquérito à Polícia Federal para investigar ataque de pistoleiros ocorrido na última sexta-feira à comunidade indígena Guarani Kaiowá de Arroio Korá, no município de Paranhos. Durante a madrugada, cerca de 400 índios haviam ocupado o local, considerado território sagrado e homologado como terra indígena pela União desde 2009, mas que segue sob controle de fazendeiros. Segundo o MPF, uma menina de 2 anos morreu no local em circunstâncias não esclarecidas, após o ataque.
Comissão da Verdade/ “dificuldades” – Globo, na capa, informa que “Grupo enfrenta dificuldades”. Afirma que após três meses, Comissão da Verdade sofre com críticas de parentes de vítimas da ditadura, além de resistência das Forças Armadas. Estado informa internamente que “Comissão da Verdade quer convocar Ustra”.
Estrada/SP/licença polêmica – Estado, na capa, informa que “Estrada no litoral norte obtém licença ambiental”. Reporta que o governo do Estado obteve licenciamento do Conselho Estadual do Meio Ambiente para construir o Contorno Sul de Caraguatatuba e São Sebastião. São 30,8 km que ligam a Rodovia dos Tamoios e a Rio-Santos. A Dersa diz que haverá redução do tempo no trânsito. O desmatamento causado pela obra já provoca polêmica. Internamente, jornal registra posição da secretaria de Meio Ambiente de São Sebastião que “Será o maior desmatamento da história”. Senador Jorge Viana (PT-AC) escreve na Folha, “Código Florestal: risco de retrocesso”.
Oceanos/nota baixa – Globo, em “Nota baixa em oceanos”, informa que o maior levantamento sobre a saúde dos oceanos, divulgado esta semana na revista "Nature", mostra que o mundo trata muito mal suas zonas costeiras. Reporta que as 171 localidades avaliadas tiveram média 6. O Brasil ficou pouco à frente, com a 35ª melhor nota: 6,2.
PIB global/ritmo fraco – Valor noticia internamente que “PIB global deve manter ritmo fraco no 2º semestre”. Notícia é que o crescimento da economia global ficou abaixo de 3% em termos anuais no segundo trimestre. Essa é a taxa mais baixa desde o começo de 2009, segundo levantamento da consultoria Capital Economics, de Londres. As cifras do PIB para o segundo trimestre, comparadas ao primeiro, mostram a desaceleração nos EUA, zona do euro e Japão, que juntos perfazem 40% da produção mundial, enquanto houve pouca mudança na China. Assim, explica, o PIB global cresceu cerca de 2,7% anualizados entre abril e junho, em comparação aos 3,3% no primeiro trimestre, pelas estimativas da consultoria britânica, que não prevê melhoras no segundo semestre. BE traz chamada sobre tema conexo, “Venda de ônibus pode cair até 20% este ano”.
Fisco x multinacionais – Valor, em “Fisco à frente na briga com multinacionais” informa na capa que a Receita Federal está vencendo no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais uma disputa bilionária contra multinacionais dos setores farmacêutico, automotivo e de tecnologia. De 12 julgamentos realizados desde 2010, 10 foram favoráveis à União. Está em discussão o valor de insumos importados que essas empresas devem registrar nas prestações de contas ao Fisco e que afetam diretamente o cálculo do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. A disputa envolve cerca de R$ 8,1 bilhões em cobranças contra 350 companhias, apresentadas pela Receita desde 2004.
Etanol/2ª geração – Valor noticia na capa que “CTC e Embrapa pesquisam nova enzima”. Notícia é que o Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), empresa de pesquisa em cana-de-açúcar que tem entre seus sócios Cosan e Copersucar, fechou parceria com a Embrapa na corrida pela produção de um etanol de segunda geração economicamente viável. Além de melhoramento genético e biotecnologia agrícola, as duas empresas vão realizar estudos para desenvolver enzima nacional por meio da biotecnologia industrial. As enzimas são peça-chave no desenvolvimento do etanol celulósico.
Planos de Saúde/críticas – Estado destaca internamente que “Atendimento em pronto-socorro é criticado por 72% dos usuários de planos”. Informa que um estudo divulgado ontem pela Associação Paulista de Medicina (APM) aponta que 72% dos usuários de planos de saúde no Estado de São Paulo que precisaram usar pronto-socorro enfrentaram problemas como superlotação e longas esperas nos hospitais. Desses, 15% admitiram que buscaram depois atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS). Cita pesquisa Datafolha que entrevistou 804 paulistas que usaram seus planos de saúde nos últimos 24 meses e destaca que 77% relataram alguma dificuldade no atendimento.
TIM/ligações cortadas – Estado, na capa, informa que “TIM se antecipa e adota nova regra para ligação”. Reporta que, acusada de derrubar ligações de clientes, empresa diz que novo prazo de dois minutos para refazer as chamadas vai desfazer "mal-entendidos". Em entrevista ao Estado, o vice-presidente da TIM, Mário Girasole, disse que medida é "uma oportunidade para se desfazer mal-entendidos". O executivo afirmou que a companhia nunca lucrou com a queda de chamadas dos planos Infinity.
Ceará/show de Plácido/R$ 3,1 mi – Folha chama na capa que “Ceará paga R$ 3,1 mi a Plácido Domingo para inaugurar obra”. Informa que, por esse preço, o tenor espanhol fez na noite de ontem o show de inauguração de um megacentro de eventos em Fortaleza.
Postar um comentário